ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Colunistas

Em Delmiro

Educação & Oportunidade

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Aprovados em concurso da Petrobras serão chamados imediatamente

Os concursos voltarão a ser rotina na Petrobras, com possibilidade de ocorrer todos os anos, anunciou no mês passado o diretor executivo de Assuntos Corporativos da companhia, Hugo Repsold Júnior. Na segunda-feira (4), a estatal encerrou as inscrições do processo seletivo para 954 vagas (159 imediatas e 795 para formação de cadastro de reserva) em vários estados, inclusive Alagoas. 

Em entrevista ao G1, o gerente executivo de Recursos Humanos da Petrobras, José Luiz Marcusso, disse que as admissões dos aprovados no concurso deverão ser feitas imediatamente. Além disso, segundo ele, a empresa não descarta chamar mais aprovados, caso haja necessidade de convocações além do número de vagas.

As convocações extra só podem ocorrer dentro do prazo de validade do processo seletivo. A validade das seleções da Petrobras é de 1 ano, prorrogável por igual período.

O primeiro processo seletivo público aberto desde 2015 é para cargos de nível médio e superior em diversas cidades nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo, Rio Grande do Norte, Sergipe, Alagoas e Amazonas. Os salários vão de R$ 3.681,63 a R$ 9.786,14.

Dois anos sem concurso

Questionado sobre a razão de a estatal ter lançado a seleção após dois anos sem concursos, Marcusso informou que as contratações ocorrem quando há demanda de pessoal, vinculada ao seu planejamento estratégico.

As últimas admissões de aprovados em concursos públicos ocorreram até 22 de setembro de 2016. Levantamento do G1 mostra que a companhia preencheu todas as vagas abertas nos concursos realizados nos últimos anos. Em alguns, inclusive, a estatal chamou aprovados além do número de vagas anunciado no edital.

Áreas que contratam

Historicamente, a mão de obra que entra por concurso na empresa costuma ser absorvida em quatro grandes áreas: exploração e produção, que contempla as operações das plataformas e nos campos de petróleo; área de refinaria; área de engenharia (construções e obras em geral) e de gás e energia.

As vagas abertas no concurso deste ano atenderão à demanda por pessoal das novas unidades de produção no pré-sal da Bacia de Santos e vão complementar um processo de mobilidade interna já em curso.

"Neste momento, após as adequações feitas no quadro de pessoal da Petrobras, foi identificada, pelas áreas da companhia, a necessidade de ingresso de profissionais em carreiras e locais específicos, visando a continuidade operacional, a gestão do conhecimento, bem como a oxigenação do efetivo", disse.

O número atual de empregados próprios da Petrobras é de 47.670, segundo dado de junho de 2017. De acordo com Marcusso, não há uma projeção de quantos funcionários a estatal poderia ter em 5 ou 10 anos, levando em conta o desempenho dos negócios e a volta dos processos seletivos.

No último balanço, divulgado em agosto, a estatal anunciou lucro líquido de R$ 316 milhões no 2º trimestre, queda de 15% em relação a 2016, mas foi o terceiro trimestre seguido de ganhos. A empresa divulgou ainda queda no endividamento tanto em relação ao 1º trimestre quanto o mesmo período de 2016.

Demissão voluntária

Os Programas de Inventivo à Demissão Voluntária, lançados em 2014 e 2016, já desligaram mais de 16 mil empregados e ainda há uma previsão de cerca de 300 desligamentos em diversas carreiras, segundo Marcusso.

Ele ressalta que as vagas abertas no processo seletivo não são para repor as oportunidades referentes aos desligamentos, mas para atender à demanda por pessoal das novas unidades de produção no pré-sal da Bacia de Santos.

"Na Petrobras, a ocorrência de um desligamento não implica na obrigação de um ingresso, como acontece no funcionalismo público", esclarece.

De acordo com Hugo Repsold Júnior, os programas tiveram o objetivo de "adequar a força de trabalho da Petrobras aos desafios que ela tem". Ele afirmou que não há planos de novos programas de demissões.

Repsold Júnior disse ainda no mês passado que a estatal trabalha atualmente na conclusão de um planejamento da força de trabalho.

Segundo Marcusso, a Petrobras desenvolveu uma metodologia baseada principalmente em níveis de produtividade das equipes por processo para quantificar a necessidade de pessoal na companhia.

Terceirizados

Atualmente, o número de prestadores de serviço na Petrobras é de aproximadamente 98 mil contratados (número de junho) e não há planos para aumentar este número, segundo Marcusso.

O gerente executivo de RH explica que o contexto econômico mundial e do setor de óleo, gás e energia reflete diretamente na estratégia da companhia. "Em linha com o Plano de Negócios e Gestão 2017-2021 e para reduzir o endividamento, a Petrobras está otimizando seus gastos operacionais e readequou seu volume de investimentos. Isso acaba refletindo também na diminuição da contratação de serviços", afirma.

Marcusso enfatiza que todas as admissões de empregados na companhia são realizadas por meio de processos seletivos públicos. Em relação aos terceirizados, Marcusso explica que a Petrobras não contrata mão de obra, e sim empresas para prestarem serviços.


GazetaWeb.com
 
Copyright © 2013 Ferreira Delmiro - Seu blog de notícias e opinião.
Shared by Themes24x7Powered byBlogger