ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Colunistas

Em Delmiro

Educação & Oportunidade

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

MPF informa a Moro que Odebrecht entregou uma cópia com todos os dados do sistema de propina

Sede da Odebrecht fica em São Paulo; empreiteira tinha sistema de informática para registrar o pagamento de propina (Foto: Paulo Whitaker/Reuters)

O Ministério Público Federal (MPF) informou ao juiz federal Sérgio Moro – responsável pelos processos da Operação Lava Jato na primeira instância – que recebeu da Odebrecht uma cópia com todos os dados do "My Web Day", o sistema de informática usado pela empreiteira para registrar o pagamento de propina.

O MPF relatou ter recebido cinco discos rígidos da empresa no dia 8 de agosto e enfatizou "que a presente ação penal não foi instruída com nenhum elemento extraído diretamente pelo Ministério Público Federal do referido sistema 'My Web Day'".

O documento foi protocolado pelo MPF no processo eletrônico da Justiça Federal do Paraná na quarta-feira (23).

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) havia pedido a Sergio Moro acesso integral e cópia do "My Web Day".

O pedido foi feito na ação penal que apura se o ex-presidente recebeu como propina um terreno onde seria construída a nova sede do Instituto Lula e um imóvel vizinho ao apartamento do petista, em São Bernardo do Campo (SP).

Neste processo, Lula responde por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Outras sete pessoas também são rés.

'My Web Day'

O "My Web Day" foi mencionado durante o depoimento de Hilberto Mascarenhas, que era o responsável pelo setor de propinas da empreiteira, prestado em 7 de junho.

Segundo Mascarenhas, o sistema foi adaptado para fazer o controle de tesouraria e, atualmente, não é mais utilizado. O "My Web Day" funcionava como um manual da propina e foi substituído posteriormente pelo "drousys", um controle mais sofisticado e que ficava na Suíça.

Ainda conforme o depoimento, o programa continha todos os registros dos pagamentos efetuados e a quem foram efetuados, por condinome.

"Não por nome, e a data que foi efetuado. Esse sistema existe, está no mesmo lugar onde sempre esteve, só que bloqueado. E lá tem essas informações de quais pagamentos foram feitos. E se quiser saber pra quem, tem que pegar pelo codinome, olhar que obra era e perguntar ao responsável, pela obra, quem era a pessoa. Eu não sei dizer", relatou o ex-executivo da Odebrecht.

Questionado pela defesa de Lula, Mascarenhas disse desconhecer os contratos da Odebrecht com a Petrobras que constam na denúncia, pois não eram da área dele.


G1
 
Copyright © 2013 Ferreira Delmiro - Seu blog de notícias e opinião.
Shared by Themes24x7Powered byBlogger