ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Colunistas

Em Delmiro

Educação & Oportunidade

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

20 cidades de Alagoas podem entrar em colapso no abastecimento de água

Vinte municípios de Alagoas correm risco de entrar em colapso no abastecimento de água, segundo confirmou a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal). Outras seis enfrentam problema semelhante e podem ter a situação agravada nos próximos dias devido à longa estiagem. 
De acordo com a assessoria de comunicação da Casal, estão em situação de iminente colapso no abastecimento as cidades de Mar Vermelho e Senador Rui Palmeira. As que estão na iminência de entrar em colapso seriam Canapi, Inhapi, Mata Grande, distrito de Piau, em Piranhas, além de Campo Alegre, Taquarana, Craíbas, Igaci, Coité do Nóia e Arapiraca.
Morador mostra a qualidade da água que chega ao povoado Tabacaria
FOTO: LUIZ MÁRIO































Já os municípios de Palmeira dos Índios, Minador do Negrão, Estrela de Alagoas, Ibateguara, Messias, Santa Luzia do Norte, Colônia Leopoldina, Rio Largo, Murici, Novo Lino, Satuba, Maragogi, Porto de Pedras e Matriz do Camaragibe estão com dificuldade no abastecimento. A Casal é responsável por abastecer 77 dos 102 municípios de Alagoas.
Em Palmeira dos Índios, a Casal informou que o abastecimento de Palmeira dos Índios é oriundo das barragens Caçamba (30%) e Carangueja (70%). Informou que, atualmente, o município de Palmeira já é abastecido por meio de rodízio. No entanto, algumas áreas ficam quatro e outras ficam cinco dias sem água. E confirmou que a barragem Carangueja pode entrar em colapso já neste fim de semana.
Moradores do povoado Tabacaria apelam por abastecimento
FOTO: LUIZ MÁRIO































"De imediato, a Casal fará algumas ações. Uma delas foi a mobilização do Comitê Estadual de Combate à Seca. Também serão realizadas ações para combater o furto de água nas adutoras, para pedir à população que faça o uso racional e sem desperdício. De modo geral, as ações de combate a furto de água serão intensificadas na região", revela a assessoria.
Segundo a empresa, uma das alternativas para garantir o abastecimento de Palmeira seria fazer a transposição de água da barragem do Bálsamo para a Carangueja. "A Casal está mobilizada no intuito de conseguir recursos para essa obra, que deverá custa, em média, R$ 12 milhões (esse valor não é fechado, é apenas uma estimativa). Essa transposição deverá percorrer cerca de 5 quilômetros entre a barragem do Bálsamo e uma área que envia água para a Carangueja", reforça.
Povoado Tabacaria, em Palmeira dos Índios, é castigado pela seca
FOTO: LUIZ MÁRIO































Outro estudo feito pela Casal é no sentido de transpor água da barragem do Bálsamo para o sistema que abastece Palmeira dos Índios. A companhia informa que, além do Comitê Integrado de Combate à Seca, a já manteve contato com o Instituto do Meio Ambiente (AMA) e com as demais secretarias estaduais e municipais envolvidas com o tema.
Moradores de povoado clamam por água
O sofrimento dos moradores do povoado Tabacaria, na zona rural de Palmeira dos Índios, é muito grande. Eles fizeram um apelo, na semana passada, que foi registrado pelo pastor Luiz Mário, da Assembleia de Deus, para que a situação de calamidade fosse revertida. Com cartazes em mãos, eles pediam água.
Pelas redes sociais, o pastor pediu a solidariedade das pessoas para poder ajudar aqueles habitantes. "Meus queridos irmãos e amigos do Facebook. Estou divulgando essas fotos para encabeçar uma campanha em prol da comunidade da Tabacaria. A situação está precária. Os moradores estão tendo que dividir água com os animais. Aos poucos, os açudes e barreiros estão secando, causando apreensão e desespero aos moradores de lá. Peço aos queridos que nos ajudem a poder ajudar a comunidade. A necessidade principal é água, garrafões de 20 litros ou caminhões-pipas de 16 mil litros", escreveu o pastor.
Fonte: gazetaweb.com
 
Copyright © 2013 Ferreira Delmiro - Seu blog de notícias e opinião.
Shared by Themes24x7Powered byBlogger