ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Colunistas

Em Delmiro

Educação & Oportunidade

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Sesau implanta serviços de saúde que não existiam em Alagoas

Texto de Marcel Vital

Nos primeiros 22 meses à frente da pasta, a secretária de Estado da Saúde, Rozangela Wyszomirska, já conseguiu atingir algumas das metas traçadas. Agora é possível comemorar a implantação de serviços que até então não existiam, garantindo aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) um atendimento mais eficiente, ágil e humanizado.
 
Objetivando vencer desafios e melhorar cada vez mais o atendimento à gestante e à criança, a secretária e o governador Renan Filho vêm desenvolvendo novas estratégias de ações em relação ao bem-estar materno-infantil.

Isso, porque, além de reformar e ampliar a Maternidade Escola Santa Mônica, no bairro do Poço, em Maceió, as mamães e bebês vão ganhar a primeira Maternidade de Risco Habitual Pública do Estado. A unidade será destinada apenas as gestantes de baixo risco.

Segundo Rozangela Wyszormirska, a nova unidade é um marco em Alagoas e irá beneficiar milhares de mulheres quando estiver construída. “A história da assistência materna e infantil em Alagoas vive um novo momento com a construção da Maternidade de Risco Habitual,comprovando que a saúde pública em Alagoas está avançando”, frisou a secretária. 

HGE E Casa da Gestante

A Casa da Gestante, Bebê e Puérpera também será um novo serviço da atenção materna e infantil, sendo destinado às gestantes de alto risco que apresentarem alguma complicação e aos bebês que saem do projeto Mãe Canguru. O serviço atenderá, inclusive, às mães que tiveram seus bebês e, por serem ainda prematuros, continuam internados na Santa Mônica, numa enfermaria da maternidade.
 
Poucos meses após assumir a Sesau, a gestora firmou parceria com o Hospital do Coração de Alagoas (HCOR/AL), com o propósito de assegurar que os pacientes do Hospital Geral do Estado (HGE) tenham acesso à angioplastia primária, procedimento que não era realizado em hospitais públicos.
Com isso, ao ser interno no HGE e diagnosticado com infarto agudo do miocárdio, o paciente triado com indicação de angioplastia primária é encaminhado para o HCOR/AL, onde é submetido aos procedimentos necessários, que assegurem o seu pronto restabelecimento.
 “Estamos seguindo o plano de ação elaborado pelo governador Renan Filho, que elegeu a saúde pública como uma das suas prioridades. Saúde se faz com ações concretas e estamos trabalhando para melhorar o acesso da população”, destacou Rozangela Wyszomirska.
 Entre as mudanças que fazem parte do pacote de medidas previstas pela Sesau para melhorar a assistência prestada no maior hospital público do Estado está a manutenção dos elevadores, com um custo de aproximadamente R$ 120 mil.
 Na farmácia do HGE, novos equipamentos, serviços de pintura, instalação de climatizadores de ar e câmeras de monitoramento, além de reparos estruturais estão incluídos no leque de mudanças, que prevê uma nova setorização dos espaços, principalmente daqueles que serão destinados ao atendimento e conservação dos insumos.
 Para a área azul, que é a porta de entrada de pacientes de urgências clínicas de média complexidade, está prevista uma equipe multidisciplinar, responsável pela melhoria de fluxo do setor, além de alterações físicas que agilizarão o atendimento dos pacientes.
 Também foi criado o Núcleo de Segurança do Paciente, que vem sendo trabalhado por meio de uma parceria com o Hospital do Coração de São Paulo (HCOR-SP). A unidade hospitalar é alvo do projeto Qualiti Hospitalar do Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP) do Ministério da Saúde (MS), que visa melhorias nos processos dessa área.
 “O HGE vem buscando se adaptar aos avanços tecnológicos, para disponibilizar o que há de mais eficiente e moderno quanto ao tratamento e bem-estar dos pacientes. Nosso propósito é oferecer maior qualidade, segurança e agilidade aos alagoanos", salientou Rozangela Wyszomirska.
 Saúde do coração
 Em mais uma parceria com o HCOR/AL, a Sesau criou o Serviço de Telemedicina, onde as pessoas com suspeita de infarto agudo do miocárdio, ao serem atendidas na Santa Casa de São Miguel dos Campos e nas Upas de Delmiro Gouveia e Maceió (Trapiche da Barra e Benedito Bentes), são submetidas a um eletrocardiograma, cujo resultado é enviado via internet e, instantaneamente, para o Hospital do Coração. Na unidade, os cardiologistas fazem a leitura do exame e imediatamente orientam sobre o procedimento a ser adotado.
 
“O Serviço de Telemedicina veio confirmar o compromisso da gestão estadual em ampliar o acesso e a resolutividade da assistência à saúde em Alagoas. Atuando em parceria com os municípios e firmando convênios com unidades filantrópicas e privadas, temos sempre o bem-estar da população como norteadores das ações”, destacou a secretária.
 Criado pelo Governo do Estado, em abril do ano passado, o Serviço de Cardiopediatria da Sesau, fruto de uma parceria de sucesso entre o HCOR/AL e a Fundação Cardiovascular de Alagoas (Fundação Cordial), vem disponibilizando aos usuários do SUS um atendimento que vai do diagnóstico e acompanhamento ambulatorial até a realização das cirurgias, beneficiando crianças e adolescentes cardiopatas.
 Rozangela Wyszomirska lembra que, antes da atual gestão, os pais de crianças cardiopatas eram obrigados a recorrer ao Ministério Público Estadual (MPE) e à Defensoria Pública Estadual (DPE) para terem assegurado o atendimento cardiopediátrico a seus filhos. À época, muitas crianças ficavam desassistidas.
 “Quando assumimos a gestão da Sesau elegemos a implantação do Serviço Estadual de Cardiopediatria como uma prioridade. Enfrentamos diversos obstáculos, porque não dispúnhamos de uma unidade hospitalar, inclusive particular, com os equipamentos necessários e profissionais habilitados. Graças à parceria com o HCOR/AL, o problema foi sanado”, enfatizou.
 Hoje, a situação é bem diferente. De abril do ano passado até agora, o programa estadual já beneficiou pequenos alagoanos com 837 atendimentos ambulatoriais, 743 ecocardiogramas, 43 procedimentos de diagnóstico invasivos (hemodinâmica e cateterismo), além de 68 cirurgias.
 Projeto Coração de Estudante
 O ‘Coração de Estudante’, realizado pela Fundação Cordial em parceria com a Sesau, já atendeu mais de 900 pequenos novos corações. O projeto tem como finalidade rastrear e identificar precocemente crianças em idade escolar, entre 2 e 5 anos, que possuam cardiopatia congênita
 Iniciado pelo município de Marechal Deodoro, o projeto percorrerá todo o Estado de Alagoas. Qualquer criança que seja identificada com um ‘sopro’ no coração será encaminhada para o ambulatório da Cordial para o diagnóstico e acompanhamento terapêutico.
 Construção das Upas
 Na atual gestão, a Sesau abriu quatro novas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) – uma em São Miguel dos Campos, uma em Maragogi e duas em Maceió (Benedito Bentes e Trapiche). Serviço que só trouxe resolutividade de grande alcance, assegurando um atendimento diferenciado das demais portas de entrada aos usuários do SUS, por conta da classificação de risco, uma vez que os pacientes são atendidos, triados e, nos casos mais graves, encaminhados para o serviço especializado.
Segundo Rozangela Wyszomirska, a abertura desses novos serviços está possibilitando melhor assistência para os pacientes que necessitam do atendimento estabelecido entre a atenção básica e a emergência.
 “Historicamente, em Alagoas, a saúde foi tratada com improviso e pouco planejamento. A gestão estadual de saúde está comprometida em construir uma nova Alagoas”, reforçou a titular da pasta.
Agência Alagoas
 
Copyright © 2013 Ferreira Delmiro - Seu blog de notícias e opinião.
Shared by Themes24x7Powered byBlogger