ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Colunistas

Em Delmiro

Educação & Oportunidade

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Quilombolas e indígenas do Sertão são cadastrados pelo Estado

A Secretaria de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social (Seades) realizou, na terça (13) e nesta quarta-feira (14), os primeiros cadastros do Cartão do Idoso voltados para comunidades quilombolas e indígenas do Sertão alagoano. O benefício chegou a aproximadamente 50 quilombolas e indígenas com mais de 60 anos dos municípios de Água Branca e Pariconha, que poderão se deslocar gratuitamente para qualquer município do Estado.

Os cadastros do Cartão do Idoso fizeram parte das ações do programa Alagoas Social, promovidas dentro da programação do Dia D do Governo Presente - Povos Tradicionais no povoado quilombola Lagoa da Pedra, em Água Branca, e na comunidade indígena Jeripancó, em Pariconha.

Para a aposentada Afonsina Gomes da Silva, de 82 anos, o Cartão do Idoso representa um acesso melhor a serviços de saúde na capital alagoana. "Preciso fazer um tratamento em Maceió e tenho que viajar sempre pra lá. Com o cartão, não terei mais a despesa com o transporte, o que vai ajudar muito", disse Dona Afonsina, que mora em Água Branca.


"Tenho 12 filhos e muitos netos e bisnetos que moram em Pariconha, Delmiro Gouveia e outras cidades. Eles são a melhor coisa que eu tenho nessa vida e agora vou poder vê-los com mais frequência", comemorou a trabalhadora rural aposentada.

A possibilidade de visitar os familiares também alegrou o indígena Antônio Manoel dos Santos, de 76 anos, morador da comunidade Jeripancó, em Pariconha. "Quero rever meus primos em Delmiro e Piranhas", contou.


A assistente social da Seades, Anna Cláudia Costa, apontou as mudanças na vida dos indígenas e quilombolas atendidos, a partir da emissão do Cartão do Idoso. "Na maioria, são pessoas que raramente deixaram suas comunidades durante toda a vida. O Cartão do Idoso amplia os horizontes desses idosos e serve de incentivo para que eles conheçam outras cidades e o Estado em que vivem", explicou.

Na avaliação do secretário de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social, Antônio Pinaud, a ação nas comunidades de povos tradicionais serve como exemplo da verdadeira finalidade do programa Alagoas Social e da atenção do Governo de Alagoas com os alagoanos que vivem nos lugares mais remotos do Estado.

"O Alagoas Social busca exatamente essas pessoas que estão longe dos grandes centros, e que são os que realmente precisam da nossa atenção. O que parece muito simples para quem está nas grandes cidades, faz uma diferença fundamental na vida de quem está nessas comunidades. Essa é uma preocupação do governador Renan Filho, expressa nas ações do Governo Presente: levar cidadania e dignidade aos alagoanos, onde quer que eles estejam", afirmou Pinaud.

ALAGOAS SOCIAL
O programa Alagoas Social busca ampliar o número de beneficiários do Benefício de Prestação Continuada (BPC) e do Cartão do Idoso, bem, como levar orientações sobre a Revisão Cadastral do programa Bolsa Família.


O BPC está previsto na Lei Orgânica da Assistência Social (Loas) e estabelece o repasse de um salário mínimo para seus beneficiários. Podem solicitar o benefício, idosos com mais de 65 anos e pessoas com deficiência incapacitadas para a vida independente em qualquer faixa etária. Nos dois casos, é necessário que a renda familiar per capita do solicitante seja inferior a ¼ do salário mínimo.

O Cartão do Idoso garante o transporte intermunicipal gratuito a pessoas com mais de 60 anos em todo o Estado de Alagoas. Para solicitar o acesso, os idosos devem apresentar carteira de identidade, CPF, Número de Identificação Social (NIS) e comprovante de que possui renda familiar inferior a dois salários mínimos.


Agência Alagoas
 
Copyright © 2013 Ferreira Delmiro - Seu blog de notícias e opinião.
Shared by Themes24x7Powered byBlogger