ÚLTIMAS NOTÍCIAS . . .

A delmirense e moradora do Bairro Bom Sossego Valdilene Anunciação Santos, 29, está desaparecida desde a última sexta-feira (17), a mulher que desapareceu na capital Maceió, até o momento não foi encontrada e a família está desesperada.

De acordo com os familiares Valdilene estava no Hospital Geral do Estado (HGE) com a sua mãe que esta internada, Valdilene teria saído para realizar uma ligação e não foi mais vista, a família acredita que ela tenha saído com alguém para e se divertir, mas até o momento ela não deu nenhum sinal de vida.

A família negou que ela tenha problemas mentais e pede para quem tiver informações ligar para os números (82) 9680-6814 falar com Regiane ou (181) que é o disque denúncia da Polícia de Alagoas.

Fonte radar89.com.br

A presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo Partido dos Trabalhadores, recebeu, na noite desta segunda-feira (20), o apoio de artistas, intelectuais, de ONGs e entidades ligadas aos movimentos negro e LGBT de São Paulo, além de políticos de partidos aliados. O evento foi realizado no Tuca, teatro da Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo, na Zona Oeste da capital paulista.

O ato teve início pouco antes das 20h e se encerrou por volta das 23h30, após Dilma Rousseff discursar para um auditório lotado. Do lado de fora, milhares de militantes que não conseguiram lugar no auditório acompanhavam tudo por telões. A Rua Monte Alegre teve de ser bloqueada para o trânsito.

Entre os artistas ilustres, participaram do ato o diretor teatral José Celso Martinez Corrêa, do Teatro Oficina, o escritor e jornalista Fernando Morais, o também escritor Raduam Nassar e a sambista e deputada estadual Leci Brandão (PC do B-SP). Um vídeo com o depoimento do cantor e compositor Chico Buarque foi muito aplaudido após ter sido exibido durante o ato.

Dilma recebeu apoio de Roberto Amaral, ex-presidente do Partido Socialista Brasileiro (PSB), de Gilberto Maringoni, candidato derrotado ao governo de São Paulo pelo PSOL, do economista Luís Carlos Bresser Pereira, ex-ministro do governo Fernando Henrique Cardoso, entre outros.

Lideranças petistas, como Marta Suplicy, ministra da Cultura, José Eduardo Cardoso, ministro da Justiça, o prefeito Fernando Haddad, o senador derrotado à reeleição Eduardo Suplicy, o candidato derrota ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha, também marcaram presença no evento.

Depois de fazer campanha na Zona Leste de São Paulo, a presidente teve de recorrer ao helicóptero para cruzar a cidade e chegar em tempo de participar do ato com a classe artística e intelectuais. Ela chegou ao teatro por volta das 22h, acompanhada do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva e de Haddad.

O discurso dela terminou por volta das 23h30.

"Esse ato coroa um momento especial de uma campanha que teve momentos extremamente tensos e diferenciados. Mas agora ao se encaminhar para a fase final ela colocou mais clareza no cenário [eleitoral]. O cenário estava um pouco cheio de nuvens. Mas agora é muito claro o que está em questão", declarou, sobre o que classificou de dois projetos de governo que estão em disputa no segundo turno.

Antes dela, Lula afirmou que nunca bateram tanto em um presidente quanto "bateram na Dilma". Para o ex-presidente, o "neto do Tancredo", a forma com a qual ele se referiu ao candidato do PSDB, Aécio Neves, é um dos propagadores do ódio contra o PT e a Dilma. "Esse rapaz deve ter um problema que eu não vou explicar qual é, porque eu não sei. Eu jamais teria a coragem de chamar, não é de uma mulher, não, mas na frente de um homem que ocupasse a presidência, jamais teria petulância de chamá-la de leviana ou mentirosa", completou.

Segundo Lula, depois de várias alterações nas pesquisas à presidência desde o início do ano, a "disputa final vai ser entre a estrela do PT e o bico tucano neste país". "É a disputa que está em jogo. Mais do que uma disputa entre uma mulher e um homem, entre dois candidatos, é uma disputa entre dois projetos, que vocês sabem a diferença", disse.


G1
Projetos serão apresentados aos assentados na quarta-feira, 22 de outubro, pelo diretor de Revitalização das Bacias Hidrográfica da Codevasf

Cerca de 465 agricultores familiares assentados no município de Delmiro Gouveia, sertão de Alagoas, conhecerão na quarta-feira, 22 de outubroàs 9 horas, os primeiros projetos de abastecimento com água do Canal do Sertão alagoano elaborados pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf). Em uma reunião, que será realizada no Assentamento Maria Cristina, na Agrovila II, o diretor de Revitalização das Bacias Hidrográficas da Codevasf, Eduardo Motta, fará um exposição dos projetos recentemente concluídos e entregues à companhia pela empresa Cohidro, contratada pela Codevasf para estudo e elaboração dos projetos básicos.

Além do diretor da Codevasf, de lideranças e dos agricultores assentados, também participarão da apresentação dos projetos representantes do Incra, do Governo de Alagoas, da Prefeitura Municipal de Delmiro Gouveia, lideranças e representantes da Coordenação Estadual do Movimento Sem Terra, entre outros.

Os projetos que serão apresentados na quarta-feira (22) atenderão aos agricultores familiares dos assentamentos Maria Cristina I, Maria Cristina II e Maria Cristina III e do assentamento Areias do Moxotó. Os projetos contemplam o abastecimento de água tanto para consumo humano, como para aproveitamento hidroagrícola.

No caso dos projetos de abastecimento para aproveitamentos hidroagrícola, chamados de “Quintais Produtivos”, os lotes das famílias beneficiadas devem ter até 2 mil m2 e contarão com água diretamente do Canal do Sertão alagoano, além de receber da Codevasf, após a conclusão das obras, kits de irrigação para produção de alimentos. Já para o abastecimento humano, a água será retirada da Adutora em Barragem Leste da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) em Delmiro Gouveia.

Essas são as primeiras comunidades beneficiadas com a finalização dos projetos de abastecimento de água num total de cento e duas, entre assentamentos, agrovilas e povoados ao longo Canal do Sertão alagoano nos municípios de Delmiro Gouveia, Pariconha e Água Branca, que serão beneficiadas por esta ação da Codevasf. Para isso, a companhia está investindo cerca de R$ 1,8 milhões. Após a conclusão de cada um dos projetos, a Codevasf fará licitação para contratar a implantação dos sistemas de abastecimento de água.


SERVIÇO
O QUE É:  Apresentação dos primeiros projetos de abastecimento com água do Canal do Sertão alagoano para assentamentos da reforma agrária em Delmiro Gouveia (AL)
QUANDO: Quarta-feira, 22 de outubro, às 09 horas
ONDE: Assentamento Maria Cristina, na Agrovila II em Delmiro Gouveia (AL)

Por Bruno Santos – Jornalista Mte 759/AL
Desembargadora Elizabeth Carvalho
Foto: Paulo Chancey Junior
A presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE/AL), desembargadora Elizabeth Carvalho do Nascimento, determinou, nesta segunda-feira (20), que os municípios alagoanos não poderão convocar beneficiários do Programa Bolsa-Família até o dia 26 de outubro, data em que será realizado o segundo turno das Eleições 2014.
O objetivo da proibição é para garantir a manutenção da ordem pública e a garantia da tranquilidade para o exercício do voto, de acordo com a nota oficial enviada à imprensa pelo órgão. Ainda de acordo com a nota, quem desrespeitar a proibição estará sujeito às sanções legais específicas.
Com a medida, o órgão tenta coibir a compra de voto ou mesmo que eleitores de baixa renda e que dependem do programa sejam induzidos a votar em determinados candidatos no próximo domingo.
O Bolsa Família é um programa social de transferência direta de renda que beneficia famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza em todo o país. O Bolsa Família integra o Plano Brasil Sem Miséria, que tem como foco de atuação os milhões de brasileiros com renda familiar per capita inferior a R$ 77 mensais e está baseado na garantia de renda, inclusão produtiva e no acesso aos serviços públicos.
O Bolsa Família possui três eixos principais: a transferência de renda promove o alívio imediato da pobreza; as condicionalidades reforçam o acesso a direitos sociais básicos nas áreas de educação, saúde e assistência social; e as ações e programas complementares objetivam o desenvolvimento das famílias, de modo que os beneficiários consigam superar a situação de vulnerabilidade.

Todos os meses, o governo federal deposita uma quantia para as famílias que fazem parte do programa. O saque é feito com cartão magnético, emitido preferencialmente em nome da mulher. O valor repassado depende do tamanho da família, da idade dos seus membros e da sua renda. Há benefícios específicos para famílias com crianças, jovens até 17 anos, gestantes e mães que amamentam. 
O governador do estado, Teotonio Vilela Filho, enviou ao presidente da Assembleia Legislativa de Alagoas, Fernando Toledo, o projeto de lei que versa sobre as normas para a transição do governo. O texto, publicado no Diário Oficial desta terça-feira (21), segue para apreciação na Casa de Tavares Bastos
O projeto institui que a Comissão de Transição será formada por grupos temáticos divididos em: Relações de Governo, Governança, Desenvolvimento Social, Desenvolvimento Econômico, Infraestrutura, Saúde, Educação e Segurança Pública. Com os trabalhos da Comissão, a atual gestão do Executivo Estadual repassará para a equipe do governador eleito, Renan Filho, informações referentes à administração pública. 
" O governo em exercício deverá disponibilizar e transmitir aos representantes do candidato eleito, independentemente de solicitação, os dados e informações relativas às contas públicas, aos programas e aos projetos do governo", diz o texto do projeto.
No grupo do atual governo haverá uma coordenação geral, oito coordenadorias setoriais, e assessorias administrativa, técnica, de comunicação e jurídica. Os membros da equipe serão servidores públicos nomeados pelo governador. As atribuições da assessoria jurídica serão desempenhadas por um procurador de Justiça.  
Cada Minuto
O deputado Renan Filho, com sabedoria, saiu de cena depois da eleição para governador.
Mas não deve ignorar que as especulações sobre o seu secretariado continuam em ritmo acelerado, com nomes que se projetam e nomes que são projetados.
Os primeiros: aqueles que se escalam, passando a bola para um entorno que trata de destacar as qualidades do secretariável.
Um “calheirista”, mais ligados a Renan pai e Olavo, garante que haverá muitas frustrações entre os candidatos a secretário do futuro governo.
Mas um nome surge, por fora, que, seguramente, não é estimulado pelo próprio, um personagem de projeção nacional: o ministro dos Esportes, Aldo Rebelo.
Para que pasta?
Rebelo tem tamanho até para ser governador, o que não é o caso.
Dificilmente isso aconteceria. Mas ninguém sabe o que pode ocorrer depois da eleição do próximo domingo.
Se Dilma vencer, Rebelo deverá assumir outro posto importante (ele ficou no Ministério dos Esportes a pedido dela – não concorreu a nenhum cargo eletivo).
Se der Aécio, a possibilidade se abre, já que Rebelo mantém casa em Alagoas – Viçosa – para onde diz que pretende retornar um dia.
É esperar para ver (mas é uma boa especulação).
Ricardo Mota/tnh1
A estação de captação de água da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) no Canal do Sertão será inaugurada na próxima quarta-feira (22). A inauguração, prevista para as 9h30, na comunidade Mosquita, em Água Branca, contará com a participação do governador Teotonio Vilela, do secretário de Estado da Infraestrutura, Marcos Vital, do presidente da Casal, Álvaro Menezes, e de várias outras autoridades.
O sistema, que integra a adutora do Alto Sertão ao Canal do Sertão, produz 270 mil litros de água por hora, beneficiando cerca de 90 mil pessoas das cidades e povoados de Pariconha, Água Branca, Inhapi, Mata Grande e Canapi. Com esta vazão, houve um acréscimo de 67% no fornecimento de água para essas localidades, melhorando significativamente o atendimento nas áreas urbanas e povoados.
De acordo com o vice-presidente de Gestão de Serviços de Engenharia da Casal, Osmar Lisboa, a estação opera durante 16 horas por dia, o suficiente para manter a regularidade no abastecimento das áreas beneficiadas.
Para o presidente da Casal, Álvaro Menezes, “trata-se de uma obra estratégica, uma vez que aproveita o potencial do Canal do Sertão, antes mesmo de sua conclusão, para atender comunidades rurais e urbanas de áreas que enfrentam dificuldade de abastecimento, principalmente em períodos de grande estiagem”. Esta estação de bombeamento é a primeira utilização intensiva do Canal Adutor do Sertão e funcionará até que o novo sistema em execução pela Seinfra entre em operação.
Ascom/Casal
O Ministério da Saúde autorizou, nesta sexta-feira (17), o repasse de R$ 12 milhões para combater a desnutrição infantil. Os beneficiados são 216 municípios de pequeno porte, a maioria no Norte e Nordeste e com menos de 20 mil habitantes, onde ainda mais de 10% das crianças menores de cinco anos estão abaixo do peso ideal para a idade. Esta é a terceira parcela enviada às cidades que aderiram à Agenda para Intensificação da Atenção Nutricional à Desnutrição Infantil (ANDI), totalizando R$ 33 milhões.
Os avanços brasileiros na redução da desnutrição infantil nas últimas décadas foram muito expressivos, representando uma queda de quase três vezes no déficit de peso para idade e de duas vezes no déficit de altura para idade em crianças menores de cinco anos somente no período de 1996 a 2006. Dados da última Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde (PNDS), realizada em 2006, indicam que apenas 1,8% das crianças ainda apresentavam déficit de peso, bem menor que o índice registrado em 1996, 4,2%. No Nordeste, os progressos são ainda mais expressivos, saindo de 6,3% para 2,2% em dez anos.
“Apesar das conquistas realizadas nos últimos anos, ainda há municípios brasileiros, sobretudo no interior do Norte e Nordeste, em que parte da população infantil convive com carências nutricionais. A ANDI é uma proposta do Ministério da Saúde para estruturar ações de alimentação e nutrição aos municípios que enfrentam este desafio”, destaca o secretário de Atenção à Saúde, Fausto Pereira dos Santos.
Para receber os recursos, os gestores locais se comprometem a enfrentar os determinantes sociais que causam a desnutrição, ampliando o acompanhamento das condicionalidades de saúde das famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família e a abrangência do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (Sisvan), e a melhorar a identificação e o acompanhamento de crianças com desnutrição ou atraso no desenvolvimento infantil, com busca ativa, visitas domiciliares e melhor acolhimento no Sistema Único de Saúde. Dos 238 elegíveis, 216 cumpriram a meta. “Há evidências científicas que comprovam que quando as crianças do programa Bolsa Família são acompanhadas, há melhoria na sua condição nutricional”, destaca a coordenadora de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, Patrícia Jaime.
Recente pesquisa realizada pelos Ministérios da Saúde e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome indica que a desnutrição crônica caiu 51,4% entre as crianças do programa Bolsa Família em cinco anos. De acordo com a pesquisa “Evolução temporal do estado nutricional das crianças beneficiárias do Programa Bolsa Família”, em 2008, 17,5% das crianças entre zero e cinco anos analisadas estavam abaixo da estatura indicada para a idade. Após quatro anos sob os cuidados dos profissionais do Sistema Único de Saúde, o índice desse mesmo grupo de crianças caiu para 8,5%, queda de nove pontos percentuais.
Ao contrário da desnutrição aguda, determinada pelo baixo peso, a desnutrição crônica reflete longos períodos expostos a situações de fome e miséria, inclusive, no ventre da mãe, comprometendo o crescimento da criança. A altura média dos perfis analisados aumentou devido a melhoria nutricional e do acesso à saúde, garantido pelo Bolsa Família. Em 2008, os meninos de cinco anos de idade mediam 107,8 cm, e, em 2012, chegaram a 108,6 cm. Já as meninas passaram de 107,2 cm para 107,9 cm. Neste estudo, foram analisadas 362 mil crianças beneficiadas pelo programa por cinco anos consecutivos, entre 2008 e 2012.
A verba repassada aos municípios pode ser utilizada nas ações relacionadas à organização da atenção nutricional, na qualificação profissional, na realização de oficinas com a comunidade sobre alimentação e nutrição, aleitamento materno e outros cuidados e também na contratação de profissionais para apoiar o cuidado integral à saúde da criança. A desnutrição na infância pode prejudicar o desenvolvimento, causar doenças infecciosas e respiratórias, comprometer o aproveitamento e a capacidade produtiva na idade adulta e até levar à morte.
O Ministério da Saúde investiu R$ 30 milhões para ampliar o programa de suplementos nutricionais, que inclui a distribuição de sulfato ferroso para crianças de seis a 24 meses em todas as UBS do país e da vitamina A para crianças menores de cinco anos. Cerca de 2,3 milhões de crianças já foram beneficiadas com a Vitamina A, em 2014, no Brasil.
A Politica Nacional de Aleitamento Materno também tem conseguido ampliar as taxas de aleitamento de forma significativa e contribuído efetivamente para que o país atingisse as metas internacionais. Nas capitais brasileiras e no Distrito Federal, o tempo médio de aleitamento materno aumentou em um mês e meio entre 1999 a 2008. Até o ano passado, 5.700 profissionais de saúde das equipes de atenção básica foram qualificados a orientar as mães como proceder na alimentação do primeiro ano de vida.
A diminuição da pobreza obtida pelo programa brasileiro de transferência de renda - o Bolsa Família - é um forte fator para a redução dos óbitos infantis. Para continuar recebendo o benefício, as famílias precisam manter atualizado o cartão de vacinação das crianças até sete anos, fazer o acompanhamento médico de gestantes, bebês e mães em fase de amamentação, além do acompanhamento do desenvolvimento das crianças da família.
A revista científica britânica The Lancet, em maio de 2013, constatou que o Bolsa Família, atrelado à expansão da estratégia Saúde da Família, contribuiu para a redução em 19,4% da mortalidade de crianças até cinco anos. Os números mostram que a redução foi ainda maior quando se considerou a mortalidade por causas específicas, como desnutrição (65%) e diarreia (53%).
ANDI – A agenda foi instituída em 2012 com o objetivo de apoiar a estruturação e qualificação de ações para o enfrentamento da desnutrição infantil na Rede de Atenção à Saúde nos municípios com menos de 150 mil habitantes que apresentam prevalência de déficit de peso para idade em crianças menores de cinco anos maior ou igual a 10%, segundo o Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN).
Fonte: Agência Saúde
A presidenta da República e candidata à reeleição pelo PT, Dilma Rousseff, disse hoje (20) que, se reeleita, universalizará a banda larga no país até 2018. Segundo ela, universalizar significa que 90% dos domicílios terão banda larga, via fibra ótica, com velocidade de, no mínimo, 25 megabytes por segundo.
“Consideramos que a internet tem a mesma importância que, por exemplo, a universalização da energia elétrica. A internet é tão importante hoje para as pessoas como é o caso da energia elétrica. Ou seja, é um dado do consumo que a gente não pode deixar de considerar como integrante da vida das pessoas. Faz parte do cotidiano”, salientou Dilma, em entrevista coletiva em um hotel na região da Avenida Paulista.
De acordo com a candidata, o Banda Larga para Todos, como é denominado o programa de universalização, será realizado por meio de parcerias público-privadas e demandará investimento do governo da ordem de R$ 40 bilhões, que serão originários do orçamento da União, de créditos tributários e financiamentos a juros subsidiados.
“[Com o plano], pretendemos dobrar o número de conexões no Brasil. Passaremos dos atuais 150 milhões para 300 milhões no fim de 2018. Hoje, a velocidade média da banda larga é de 2,3 a 5,5 megabytes. Queremos chegar a 25 megabytes por segundo no fim de 2018", acrescentou.
Dilma disse, ainda, que o governo exigirá das operadoras a oferta de um pacote popular, com parâmetros da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). “Como contrapartida, vamos exigir, de qualquer um dos modelos possíveis, a oferta de um pacote popular alinhado com critérios da OCDE, que são a conexão de banda larga fixa de, no mínimo, 25 a 32 megabytes”, salientou.
Conforme a candidata, os 10% de domicílios que não serão atingidos pelo programa utilizarão outros meios de acesso à internet, como rádio, satélite, o 3G ou o 4G, que são tecnologias utilizadas pelos smartfones.
O candidato do PSDB à Presidência República, Aécio Neves, disse ontem (20) que vai promover um choque de infraestrutura em diversas regiões do Brasil. Em visita ao Pará, ele prometeu, caso eleito, ampliar os investimentos do governo federal em saúde no estado, já que, segundo o candidato, a participação tem diminuído nos últimos anos.
Em referência a obras em hidrovias no estado e a problemas de mobilidade enfrentados pela capital, Belém, Aécio Neves ressaltou que a riqueza mineral extraída no Pará precisa se transformar em benefícios para a própria população local. “Nós precisamos no Brasil de um choque de infraestrutura, que faltou nesse governo. Esse governo é o governo das obras anunciadas e das obras permanentemente adiadas”, disse.
De acordo com o candidato do PSDB, será possível conceder uma “solidariedade efetiva” do governo federal ao estado, para que questões como a da mobilidade urbana e do financiamento da saúde pública sejam enfrentados. No próximo domingo (26), os eleitores do Pará também vão escolher, no segundo turno, o governador. Ao lado de um candidato local de seu partido, Aécio Neves ofereceu uma “parceria generosa” ao aliado caso seja eleito presidente.
“Esse governo demonizou durante dez anos as parcerias com o setor privado, isso atrasou obras em todo o país, não só aqui, e é um governo que não mostra capacidade gerencial. As obras desse governo começam por um preço, os preços vão crescendo e as obras não são concluídas”, disse Aécio, citando obras de infraestrutura. Segundo ele, a sua característica é diferente, de fazer além de “apenas prometer”.
Ao se referir ao coordenador da área ambiental de sua campanha, o candidato disse pretender incluir as propostas recebidas no estado em seu programa de governo, a fim de que compartilhar a riqueza da região, de onde se extrai minérios, e “garantir um futuro de sustentabilidade para todo o país”.
Aécio Neves participou de um comício na capital paraense, acompanhado de correligionários e do ex-jogador Ronaldo. Mais cedo, ele visitou o santuário Nossa Senhora da Piedade, em Caeté (MG), próximo a Belo Horizonte, onde prometeu atuar em parceria com o estado de São Paulo no combate à crise hídrica.

Agência Brasil

Jéssica Amanda Morais Rodrigues
Psicóloga Clínica/Organizacional
CRP: 15/ 3944

O termo depressão atualmente virou sinônimo de tristeza ou angústia, caindo assim no conceito popular e muitas vezes até sendo banalizado ou minimizado. 

O nosso objetivo aqui é demonstrar que essa doença é bem mais complexa do que um simples sentimento. E pode levar o sujeito a morte.

Todos nós temos momentos altos e baixos, o que está dentro da nossa “normalidade” enquanto sujeito. A tristeza também é um sentimento bastante normal diante das barreiras da vida. O que deixa de ser normal quando é sentido cotidianamente e com pensamentos de suicídio ou morte.

Clinicamente a depressão é bastante variada, e é definida como um conjunto de sintomas entre eles: variação no humor, longos períodos de tristeza, perda de interesse por coisas que antes gostava, tais sintomas tendem a atrapalhar na sua rotina diária, como: trabalho, relacionamento interpessoal (familiares ou amigos), estudos, alimentação, dormir, entre outros.

Seu diagnóstico é dado diante de dois sintomas: humor deprimido ou perda de interesse ou prazer. Isso, se tais sintomas perdurar de 1 à 3 meses.

Seus principais sintomas são:

• Você não consegue dormir ou dorme em excesso.

• Você tem dificuldades de concentração, ou sente que algumas das tarefas que fazia facilmente tornam-se um tormento.

• Você sente-se desesperançado e desamparado.

• Você não consegue controlar os seus pensamentos negativos por mais que se esforce.

• Você perdeu o apetite ou não consegue parar de comer.

• Você está muito mais irritadiço e com humor diminuído do que é habitual.

• Você tem pensamentos de que não vale a pena viver (se for o caso procure ajuda imediata).

Caso esses sintomas persistam por longo período não exite, procure tratamento adequado. Não adianta tratar de todo o corpo se o que está doente é a nossa mente. Quando estamos com uma depressão, por exemplo, nosso corpo pode reagir externando algumas doenças físicas como: pressão alta, ataque cardíaco, suor excessivo, Síndrome do Intestino Irritável (S. I. I.).

E mesmo que todas essas doenças sejam tratadas não terá muito êxito se a nossa mente também não for curada.

Os fatores causadores podem ser internos e externos. Interno é quando o indivíduo já nasce com predisposição genética, quando seu pai, mãe ou até parentes sofrem com essa doença. Os externos são fatores que estão sendo influenciado por seu meio social, por exemplo, quando o sujeito está alheio a solidão, falta de apoio social, problemas de relacionamento ou conjugal, tensão financeira, trauma ou agressão física, uso álcool ou drogas, problemas de saúde ou dor crônica.

Diante de tudo aqui exposto, faça uma auto-avaliação e, caso detecte esses fatores procure um tratamento adequado, através de psicoterapias e em casos mais agudos, o tratamento deverá ser feito com a psicoterapia e medicamentoso. Lembrando que o remédio somente não é terapêutico.

Pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira (20) aponta os seguintes percentuais de votos válidos no segundo turno da corrida para a Presidência da República: Dilma Rousseff (PT): 52% e Aécio Neves (PSDB): 48%

Para calcular esses votos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição.

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal "Folha de S.Paulo".
De acordo com o Datafolha, na reta final da eleição, os candidatos continuam empatados, no limite da margem de erro, de dois pontos percentuais para mais ou para menos, mas Dilma aparece pela primeira vez numericamente à frente de Aécio em um levantamento feito após o primeiro turno.
No levantamento anterior do instituto, divulgado no dia 15, Aécio tinha 51% e Dilma, 49%.
Votos totais
Se forem incluídos os votos brancos e nulos e dos eleitores que se declaram indecisos, os votos totais da pesquisa estimulada são:

- Aécio Neves (PSDB): 46%
- Dilma Rousseff (PT): 43%
- Em branco/nulo/nenhum: 5%
- Não sabe: 6%

Na margem de erro, os candidatos estão empatados tecnicamente.
O Datafolha ouviu 4.389 eleitores no dias 20 de outubro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. Isso significa que, se forem realizados 100 levantamentos, em 95 deles os resultados estariam dentro da margem de erro de dois pontos prevista. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01140/2014.
Certeza do voto
O Datafolha também perguntou, entre os dois candidatos, em quem os eleitores votariam com certeza, em quem talvez votassem e em qual não votariam de jeito nenhum. Veja os números:

Dilma
45% - votariam com certeza
15% - talvez votassem
39% - não votariam de jeito nenhum
1% - não sabe

Aécio
41% - votariam com certeza
18% - talvez votassem
40% - não votariam de jeito nenhum
2% - não sabem

1º turno
No primeiro turno, Dilma teve 41,59% dos votos válidos e Aécio, 33,55% 
Admar Gonzaga

O ministro Admar Gonzaga, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), decidiu neste domingo (19) reduzir o tempo de propaganda eleitoral gratuita do candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, e da candidata do PT, Dilma Rousseff, em punição por terem utilizado o horário eleitoral gratuito para fazer "ataques" um ao outro.

A decisão atende a uma mudança de entendimento do TSE, fixada na semana passada, em que tribunal estabeleceu que o programa eleitoral em cadeia de rádio e TV deve ser utilizado para debater ideias e apresentar propostas.


Alagoas vem se preparando, nos últimos meses, para enfrentar os casos de febre chikungunya, doença que é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti e pode deixar sequelas nas articulações de quem a contrai. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), os profissionais que atuam nos municípios alagoanos já estão alertas e cientes do problema, mas é preciso que haja um combate mais efetivo à proliferação do vetor. 


“Alagoas tem mosquito suficiente para ter um surto da doença e é preciso que os órgãos responsáveis estejam atentos. A limpeza urbana e o trabalho diário dos agentes de saúde são fundamentais nesse processo. A população também deve contribuir com isso, eliminando as possibilidades de o mosquito se reproduzir”, destaca a diretora de Vigilância Epidemiológica da Sesau, Cleide Moreira. 



Segundo ela, Alagoas registrou, até o momento, três casos suspeitos da doença, sendo que um deles já foi eliminado. Os exames para identificar a presença do vírus são feitos no Fiocruz, no estado do Rio de Janeiro. 



“Alagoas vem se preparando para enfrentar esse problema há alguns meses, desde que foram registrados casos de introdução do vírus em alguns estados. Temos um plano de enfrentamento parecido com o da dengue, que é focado no controle do vetor. Já fizemos reuniões de capacitações e temos preparado os profissionais da saúde, mas é um trabalho integrado”, destaca. 



A doença 



Apesar de não representar risco de morte para as pessoas infectadas, a febre chikungunya possui três fases, a aguda, a subaguda e a crônica. No terceiro caso, quando a doença apresenta evolução, as vítimas, além de sentirem os sintomas normais, como febre alta, dor muscular e nas articulações, cefaleia e erupção cutânea – que duram entre 3 e 10 dias – também ficam com sequelas relacionadas às articulações. 



“A gravidade dessa febre é quando ela se torna crônica, que é quando a pessoa fica com sequela”, afirma Cleide, destacando que o hospital de referência para tratamento da doença em Alagoas é o Helvio Auto. 



O arbovírus é transmitido aos seres humanos por mosquitos do gênero Aedes. Até recentemente havia sido detectado somente na África, onde estava restrito a um ciclo silvestre, e na Ásia e na Índia onde sua transmissão era principalmente urbana, envolvendo os vetores Aedes aegypti e Aedes albopictus. Casos da doença causada pelo vírus, a febre chicungunha, foram detectados no Brasil pela primeira vez em agosto de 2010.



O período de incubação do vírus é de 4 a 7 dias, e a doença, na maioria dos casos, é auto-limitante. A mortalidade em menores de um ano é de 0,4%, podendo ser mais elevada em indivíduos com patologias associadas.


gazetaweb.com

Alagoas tem um déficit de mais de mil leitos hospitalares. A informação é da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) e reforça levantamento feito pela Conselho Federal de Medicina (CFM), que aponta que foram desativadas quase 15 mil vagas no Brasil desde julho de 2010. A situação é mais crítica em algumas áreas, como nos internamentos psiquiátricos.

O presidente do Conselho Regional de Medicina de Alagoas (Cremal), Fernando Pedrosa, confirmou que houve redução do número de leitos hospitalares nos últimos anos, principalmente de internação eletiva. “Houve uma redução dos leitos de clínica, cirurgia e psiquiátrica em Alagoas. Há deterioração dos hospitais nos municípios. Esse sucateamento acaba agravando essa questão da falta de leitos”, disse Pedrosa.

Com a desativação de leitos, quem precisa do Sistema Único de Saúde (SUS) passará mais tempo a esperar por internamento, o que pode agravar o estado de saúde do paciente. “Essa questão prejudica quem é mais pobre, que precisa de internamento e também causa superlotação no serviço de emergência”, acrescentou Fernando Pedrosa.

Rogério Barbosa, diretor de Atenção Hospitalar da Sesau, a situação de Alagoas em relação à quantidade de leitos não é diferente dos demais estados. “Em Alagoas, o déficit varia entre 1.000 e 1.500 leitos hospitalares. No caso da Ortopedia, não há déficit, mas há em outros como a Psiquiátrica”, acrescentou o presidente do Cremal.

Segundo dados do Conselho Federal de Medicina (CFM), em julho de 2010 o Brasil dispunha de 336,2 mil deles para uso exclusivo do SUS. Em julho deste ano, o número passou para 321,6 mil, uma queda de quase 10 leitos por dia. Os estados da região Nordeste registraram a redução de 3.533 leitos. No Sudeste, foram quase 6 mil.

Fonte gazetaweb.com

A candidata do PT presidência da República, Dilma Rousseff, lidera numericamente a pesquisa eleitoral do 2º turno realizada pelo instituto MDA a pedido da Confederação Nacional do Transporte.
A petista tem 45,5% das intenções de voto, ante 44,5% de Aécio Neves. Na simulação que exclui votos brancos, nulos e entrevistados indecisos, a vantagem é a mesma: 50,5% a 49,5%. Como a margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, há cenário de empate técnico entre os candidatos.
Os pesquisadores visitaram 137 municípios de 25 Estados nos dias 18 e 19 de outubro, isto é, antes do terceiro debate televisivo, transmitido pela Record. 2000 pessoas opinaram.
A noite do dia 18 de outubro ficou marcado para sempre na carreira da Banda El com a gravação ao vivo do seu primeiro DVD. O evento foi realizado na sede da Igreja Assembleia de Deus, em Delmiro Gouveia.     

A banda comemorou também dez anos de existência, com o objetivo de a alegria e louvar o nome do Senhor Deus e Jesus Cristo. A noite de gravação teve uma superestrutura e contou mais de três mil pessoas que compareceram para cantar as músicas desde o primeiro álbum da banda. 

A gravação do DVD teve a participação da banda Luz e Vida da cidade de Paulo Afonso/BA, do cantor Mahatma Jade e do Pastor Cícero Otávio Marinho.    

 “Foi um sonho realizado por todos que fazem a Banda EL nesta noite, o apoio da igreja, a presença do público, faz com que nós tenhamos ainda mais força para poder prosseguir levando a palavra de Deus através das canções”. Frisou João Carlos, integrante da banda. 

A Banda EL é formada pelos músicos:  João Carlos (contrabaixo), Genison Feitosa (Guitarra), Genilton (Sax e voz), Caio (guitarra e violão), Orlando (teclado e voz), Everton (bateria), Cláudio (voz) e Jonathan (teclado).

Mais Noticias
A Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social (Dataprev) divulgou edital de concurso público para 4.016 vagas em cargos de níveis médio e superior. Todas as oportunidades são para cadastro de reserva. As remunerações vão de R$ 3.129,73 a R$ 6.395,39.
Do total das oportunidades, 10% são reservadas para pessoas com deficiência e 20% são para negros e pardos.

No site do Instituto Quadrix, é possível ver o edital (acesse o edital).
Os cargos de nível superior são para engenheiro de segurança do trabalho, médico de segurança do trabalho, analista de tecnologia da informação nas áreas de administração de pessoal e benefícios e carreira e remuneração, advocacia, análise de informação, análise de negócios, arquitetura, comunicação social, contabilidade, desenvolvimento de pessoas, desenvolvimento, engenharia civil, engenharia elétrica, engenharia mecânica, finanças, gestão de TIC, infraestrutura e aplicações, processo administrativo, prospecção de soluções e melhoria de processos, qualidade de vida, serviços logísticos e web design, e analista de processamento.

As vagas de nível médio são para auxiliar de enfermagem do trabalho e técnico de segurança do trabalho.

As oportunidades são para as cidades do Rio de Janeiro, Florianópolis, Fortaleza, João Pessoa, Natal, São Paulo, Boa Vista, Macapá, Palmas, Porto Velho, Rio Branco, Aracaju, Salvador, Vitória, Belo Horizonte, Campos Grande, Cuiabá, Belém, Manaus, Goiânia, Curitiba, Porto Alegre, Maceió, Recife, São Luis, Teresina e Brasília.

As inscrições devem ser feitas pelo site www.quadrix.org.br no período de 20 de outubro a 17 de novembro. A taxa é de R$ 50 para nível médio e R$ 80 para nível superior.

A seleção será feita por meio de prova objetiva, prova discursiva e prova de títulos, somente para nível superior.

As provas objetiva e discursiva serão aplicadas na data provável de 14 de dezembro. No ato da inscrição, o candidato deverá optar por uma das 26 capitais ou o Distrito Federal para realizar as provas.

O concurso terá validade de 2 anos e poderá ser prorrogado, uma vez, por igual período.

G1
O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, fez ontem (19) uma sinalização em favor do distensionamento na troca de acusações da atual campanha política e deixou um convite à presidenta Dilma Rousseff para debater propostas. No último debate político, transmitido na quinta-feira (16) pelo SBT, os dois haviam elevado o tom da discussão, que chegou a níveis pessoais. Na noite de hoje, ambos se encontram novamente, em debate na Rede Record, às 22h15.
“Quero fazer um convite à nossa adversária, para que nós possamos debater propostas, falar do futuro do Brasil. Sou de uma escola política que ensina que quem deve brigar são as ideias e não as pessoas. Queria deixar como mensagem, neste domingo que precede as eleições, um convite para que utilizemos esses últimos sete dias para debater o Brasil. Inicio esta última semana de alma leve”, disse Aécio, em coletiva de imprensa realizada momentos antes de uma caminhada pela orla de Copacabana.
Aécio comentou também os apoios que tem recebido nas últimas semanas, especialmente da ex-candidata do PSB, Marina Silva, derrotada no primeiro turno. Ele assegurou que adotará, em um eventual governo seu, princípios ambientalistas pregados por Marina.
“É o momento de ampliar as forças e fiquei muito honrado com os inúmeros apoios que recebi, de forma especial de Marina Silva. Nós temos o compromisso de avançarmos para que o Brasil seja uma economia cada vez de menor carbono. Eu espero que Marina possa ser uma companheira de viagem, não apenas nesta eleição, com sua experiência e seus conselhos. Houve uma paralisia na definição de novas áreas de preservação no Brasil e hoje os jornais mostram que voltou a aumentar o desmatamento neste período final do governo”.
O candidato tucano comentou ainda o reconhecimento, pela presidenta Dilma, feito ontem (18), durante coletiva em Brasília, de que houve desvio de recursos públicos na Petrobras. “É uma evolução, um avanço. É isso que eu cobrei dela em todos os debates. Eu reconheço que é um avanço pelo menos admitir que isso aconteceu. As providências eu não vi até agora, em relação àquele que é denunciado pelo [ex-diretor] Paulo Roberto [Costa] como o receptor da parcela que caberia ao PT, que é seu tesoureiro.”

Agência Brasil

A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, negou ontem (19) irregularidades na execução do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). Dilma falou sobre o assunto ao comentar reportagem do jornal Folha de S.Paulo, que, com base em relatório da Controladoria-Geral da União (CGU), aponta falhas no acompanhamento dos alunos matriculados no programa.


Segundo a reportagem do jornal, não é possível precisar quantos são os estudantes desistentes e se o repasse de recursos continua sendo feito às instituições parceiras.


“Fiquei satisfeita [com o relatório] porque a controladoria esclareceu perfeitamente que os cursos são fiscalizados e que temos de aperfeiçoar a fiscalização. Não há nenhuma irregularidade no Pronatec”, disse a candidata em entrevista à imprensa.


Dilma explicou que os cursos são, em grande parte, feitos em parceria com o Sistema S (Senar, Senac, Senat e Senai) e defendeu o caráter gratuito programa. “No Brasil, se não tiver cursos gratuitos, não se atinge a multidão que precisa, que vai usufruir e transformar os cursos em riqueza para o país.” Segundo ela, o Pronatec atende a cerca de 8 milhões de pessoas.

A candidata destacou que, se conquistar mais um mandato no próximo domingo (26), ampliará o Pronatec, incluindo jovens aprendizes no programa. “O obstáculo era que as micro e pequenas empresas tinham que pagar um curso para esses adolescentes acima de 15 anos e não tinham condição. Estamos incorporando dentro do Pronatec”, explicou. Atualmente, o programa atende a jovens que cursam o ensino médio e também a trabalhadores que buscam qualificação profissional.

Dilma lembrou que o acesso a informações sobre esse tipo de fiscalização é possível em âmbito federal porque a Lei de Acesso à Informação é cumprida. “Não há esse nível de acesso à informação em todos os entes federados. No governo federal, é garantido que [se] acessa [tal tipo de informação].”


A candidata, que está em São Paulo desde o final da manhã deste domingo, participará, às 22h15, na TV Record, de debate com Aécio Neves, do PSDB, seu adversário no segundo turno.



Questionada se o clima de hostilidade e ataques será mantido no debate desta noite, ela disse que espera poder falar sobre suas propostas. “É do meu interesse. Tenho propostas que não só estão no papel, mas que estão também na realidade”, afirmou.



Dilma ressaltou, porém, que essa disposição tem de partir dos dois candidatos. “É impossível escutar agressões, desrespeitos e preconceitos sem responder, principalmente em um quadro eleitoral.”

Agência Brasil

O ministro Admar Gonzaga, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), decidiu, na noite de ontem (18), suspender trechos da propaganda eleitoral do candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, que citavam o advogado Igor Rousseff, irmão da candidata do PT à reeleição, Dilma Rousseff.

A propaganda, veiculada sexta-feira (17), dizia que Igor Rousseff “foi nomeado pelo [então] prefeito [de Belo Horizonte] Fernando Pimentel no dia 20 de setembro de 2003 e nunca apareceu para trabalhar”. A defesa anexou aos autos declaração oficial do ex-prefeito e governador eleito de Minas Gerais, atestando que Igor Rousseff “trabalhava com regularidade e eficiência”.

Na representação ao TSE, a coligação Com a Força do Povo, liderada pelo PT, alega que a propaganda usou trechos editados do debate realizado pela rede de televisão SBT com intenção de "denegrir a imagem, a honra e a dignidade da candidata, caluniando Dilma Rousseff, que à época da nomeação do irmão na prefeitura de Belo Horizonte sequer era presidenta da República”.
Além de pedir que fosse proibida a exibição da propaganda, a coligação requereu direito de resposta, que ainda será julgado. Na decisão, o ministro Gonzaga lembrou que, desde o dia 16 deste mês, a Corte decidiu autorizar apenas a publicidade de cunho propositivo.
“Ressalto ainda, por oportuno, que o não cumprimento da presente decisão, ou a falta de observância dos novos parâmetros na propaganda eleitoral no rádio e na televisão, sob qualquer modalidade, passará a atrair o quanto previsto no Parágrafo Único do Artigo 55 da Lei 9.504/1997, sem prejuízo de avaliação da conduta quanto às demais sanções previstas, concluiu o ministro. O artigo citado por Gonzaga diz que o descumprimento da norma sujeita o partido ou coligação à perda de tempo equivalente ao dobro do usado na prática do ilícito, no período do horário gratuito subseqüente e que a punição é dobrada a cada reincidência.
Já a coligação Muda Brasil, que apoia Aécio Neves, conseguiu no TSE a suspensão da propaganda veiculada pelo PT que falava sobre a recusa do tucano de fazer o teste do bafômetro, ao ser parado em uma blitz, no Rio de Janeiro, em 2011. O ministro Tarcisio Vieira proibiu a exibição da propaganda.
Na representação com pedido de liminar ajuizada por Aécio, o tucano argumentou que a peça publicitária atacava sua honra, pois sustentava que ele teria se recusado a se submeter ao bafômetro, "após ser flagrado numa blitz de trânsito, insinuando, com isso, que ele estaria alcoolizado e que teria usado tal artifício para esconder o episódio da opinião pública".
De acordo com Aécio, o objetivo da propaganda era levar o eleitor a crer que ele teria praticado uma infração gravíssima de trânsito, quando, na verdade, a punição fora somente por estar com a Carteira Nacional de Habilitação vencida. O candidato do PSDB afirmou ainda que a Secretaria de Estado de Governo do Rio de Janeiro, coordenadora da Operação Lei Seca, expediu nota em de 25 de abril de 2011, na qual afirma que Aécio "foi liberado sem apresentar nenhum sinal de estar alcoolizado" .
Tarcisio Vieira destacou que o horário eleitoral não foi criado paraos candidatos troquem ataques e ofensas de índole pessoal, mas sim "para a divulgação e discussão de ideias e de planos políticos, lastreados no interesse público e balizados pela ética, pelo decoro e pela urbanidade".
O ministro destacou, também, que o TSE foi enfático ao desestimular, quanto às propagandas no rádio e na televisão, o uso de matérias jornalísticas depreciativas, ainda que previamente divulgadas pela imprensa, e a participação de terceiros não diretamente relacionados à cena política e deixou “sacramentado que os holofotes devem estar direcionados para o candidato e para as suas ideias, e não para pirotecnias ou artifícios técnicos que produzam imagens artificiais e enganosas”.
No caso específico dessa propaganda, o ministro do TSE concluiu que ela deve ser combatida, porque apresenta excesso ao imputar condutas imorais e ilícitas ao candidato Aécio Neves, de forma a macular sua imagem perante o eleitorado.

Agência Brasil
Os mecanismos de controle governamental do país, responsáveis por identificar irregularidades e desvios, estão muito melhores atualmente que no passado, mas a população ainda é pouco engajada nessas questões. “Eu diria que a população está desacreditada [do combate à corrupção]. Os jovens não se empenham suficientemente”, disse à Agência Brasil o diretor do Instituto Auditores Internos do Brasil, Paulo Gomes.
Segundo o auditor, as manifestações de junho de 2013, que levaram milhares de pessoas às ruas de diversas cidades brasileiras, foram movimentos pontuais e pouco numerosos em relação ao tamanho do país. De outro lado, Gomes ressaltou o papel da imprensa para pressionar por resultados nas investigações de corrupção. Ele também destacou que a reputação de uma empresa ou um órgão é muito importante e um escândalo financeiro pode resultar em perda de credibilidade.
Os temas estão sendo discutidos, a partir de hoje (19) até quarta-feira (22), por mais de 500 auditores de instituições públicas e privadas reunidos no 35º Congresso Brasileiro de Auditoria Interna (Conbrai), em Goiânia. O objetivo do encontro é discutir desafios e trocar experiências quanto a novas perspectivas no controle interno governamental do país.
Para o auditor, há uma evolução do processo de melhoria no controle e no combate a corrupção no Brasil, que, segundo ele, já foi pior. “Nos últimos anos, já houve oimpeachment de um presidente da República e a cassação de governadores. Você vê, periodicamente, parlamentares sendo cassados e também situações de julgamento de processos na Justiça que antes não avançavam”, argumentou.
Apesar disso, ele observa que a Justiça ainda precisa dar resposta mais rápida a julgamentos desse tipo, para que a população não fique com a sensação de que há impunidade. “Para mim, a execução da apuração de corrupção avançou bastante, mas a questão do julgamento precisa avançar mais”, afirmou, lembrando que, em alguns casos, os processos até prescrevem pela demora.
Para o especialista, são muitos os fatores que contribuem para a descoberta de casos. “Hoje, é possível obter informações significavas na internet. O próprio governo vem incentivando o Portal da Transparência, onde ações de gastos públicos são colocadas , como, por exemplo, viagens a serviço no Brasil e no exterior e as compras de obras e serviços”
Paulo Gomes coloca como um dos maiores desafios a prevenção da fraude. “Combater a fraude depois que ela ocorre é complicado. O fraudador sempre está à frente, mas a partir do momento em que você cria mecanismos para controlar as informações principalmente financeiras você vai inibir a ação do fraudador, que geralmente acha que nunca vai ser descoberto. As vezes o estrago financeiro não é tão grande quanto o da imagem da instituição”, lembrou 

Agência Brasil
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...