ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Colunistas

Em Delmiro

Educação & Oportunidade

Destaques

Diversos

Política

Saúde e Bem Estar

Mundo

Projeto Casca

CASCA – Centro de Ação Social para Crianças e Adolescentes, é uma entidade associativa, sem fins lucrativos, apolítica, composta por pessoas físicas unidas no ideal de fraternidade e consciência social. É uma instituição de Solidariedade.

Faça sua arte com Anderson C. Sandes

Panfletos, cartões de visitas, fachadas, flyers, blogs, logotipos, camisetas e muito mais...

segunda-feira, 18 de março de 2019

Inaugurações e shows marcam os 182 anos de emancipação Politica de Mata Grande


A administração do Prefeito da cidade de Mata grande vive um novo momento, fruto disto é a programação que esta acontecendo hoje, 18, em alusão as comemorações dos 182 anos de emancipação que será marcada principalmente pela inauguração de obras importantes para a comunidade, o que não era visto há muito tempo.

O Prefeito Erivaldo Mandu vai entregar a população, Ginásio Poliesportivo, Casas populares do sítio São José uma comunidade que sempre foi esquecida nas gestões anteriores, Sala de Parto, Nova sede do Caps, Uma nova CRECHE, mobília escolar e a noite o tradicional show em praça pública com as atrações de Forró Chamega, Jonas Esticado e Márcia Felipe.

Da Redação


quinta-feira, 14 de março de 2019

Escolas alagoanas têm até sexta-feira (15) para se inscreverem na OBMEP


Escolas públicas e particulares de Alagoas têm até esta sexta-feira (15) para se inscreverem na 15ª edição da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP). O cadastro deve ser feito no site www.obmep.org.br e podem participar unidades que atuem nos segmentos do 6º ao 9º ano e todo o Ensino Médio. As inscrições são gratuitas para as escolas públicas, enquanto as particulares pagarão R$ 4 por aluno.

Criada em 2005 pelo Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), a OBMEP visa estimular o interesse pela matemática entre os estudantes da Educação Básica, bem como descobrir talentos na área. Os alunos com melhor desempenho, além de receber medalhas de ouro, prata ou bronze, também são convidados a participarem de programas de iniciação científica, o PIC Jr.

As provas acontecem nos dias 21 de maio (primeira fase) e 28 de setembro (segunda fase).

Medalhistas 

Em 2018, a OBMEP contou com a participação de 18 milhões de estudantes 54.496 unidades. Em Alagoas, foram 350.497 alunos inscritos na primeira fase da competição - destes, 168.239 são alunos de 275 estaduais.  Em 2018, o Estado conquistou um total de 90 medalhas - 77 bronzes, 12 pratas e 1 ouro - e 447 menções honrosas nas entre as redes pública e privada.

Alagoas registrou um aumento no número de medalhistas entre as edições 2017 e 2018: em 2017, 87 alunos alagoanos conquistaram medalhas, três a menos que ano passado. No que concerne à rede estadual, a melhoria também é evidente. Comparando as duas últimas edições, é possível notar o avanço: em 2018, foram 29 medalhas (duas pratas e 27 de bronze), 12 a mais do que em 2017, quando 17 estudantes da rede estadual conquistaram medalhas.

Por: Gazeta Web

quarta-feira, 13 de março de 2019

CNH: Entenda o que é a provisória e saiba como emitir a definitiva


Muitos condutores recém-habilitados costumam ter dúvidas sobre a Permissão Para Dirigir (PPD), conhecida como CNH Provisória, documento que concede autorização para o cidadão conduzir veículo durante doze meses. O procedimento, previsto de forma legal conforme disposto no artigo 148º do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), tem o intuito de avaliar se o condutor está capacitado para integrar o trânsito de forma segura e responsável.

A PPD é concedida ao candidato após cumpridas todas as etapas para obter para obter a 1° Carteira Nacional de Habilitação (CNH):  Exame Clínico, Avaliação Psicológica, Exame Teórico e Exame Prático de Direção Veicular. Com ela, o condutor tem o direito de transitar em pistas, rodovias e estradas, assim como se portasse uma habilitação definitiva.

É necessário que, durante o porte da carteira provisória no prazo de doze meses, o condutor não cometa nenhuma infração considerada grave, gravíssima ou seja reincidente em infração média. Deve-se tomar cuidado com atitudes que levem à suspensão da habilitação, entre elas dirigir sob efeito de álcool, transportar crianças menores infringindo as normas de segurança, ultrapassar a velocidade mínima exigida pelos radares e sinalizações, respeitar o uso do cinto de segurança, entre outras.

Após esse período, ele poderá emitir on-line a guia de CNH definitiva no site do Detran/AL (https://www.detran.al.gov.br/habilitacao/guia-cnh-definitiva/). Caso tenha cometido alguma dessas infrações, será privado do direito de obter a habilitação e perde a Permissão Para Dirigir. Dessa forma, precisará realizar todo o processo para obtenção do documento desde o início, o que inclui o pagamento das taxas do Detran, exames médicos e psicológicos, e aulas no CFC escolhido.

A carteira de habilitação definitiva terá validade máxima de 4 anos para as pessoas até 65 anos, que somado ao prazo da CNH provisória, totaliza 5 anos.

Por: Cada Minuto

terça-feira, 12 de março de 2019

Comandante do Grupamento de Polícia de Água Branca, Paulo Guerra, morre ao passar mal

O sub-tenente Paulo Guerra, que era comandante do Grupamento de Policia Militar( GPM)  do municipio de Água Branca, morreu na madrugada desta terça-feira(12), em Delmiro Gouveia.

De acordo com o comandante do 9° Batalhão de Policia Militar( BPM), tenente-coronel Anaximandro Tenório, na última semana, o experiente policial sofreu um principio de de infarto e precisou ser levado para a cidade de Maceió, onde passou por um procedimento de cateterismo.

"Ele estava muito alegre. Infelizmente passou mal, tendo que ser levado para Maceió, mas, no sábado, teve alta e foi trazido para Delmiro, mas passou mal novamente e faleceu. É uma grande perda para a Polícia Militar, pois era um homem íntrego e leal", lamentou o comandante do 9º-BPM.

Por: Correio Noticia

segunda-feira, 11 de março de 2019

Medicina Natural amplia qualidade do diagnóstico e possibilidades de tratamentos


É cada vez mais comum estar doente. Salas de emergências cheias, clínicas com espera e os pacientes são para as mais diversas especialidades. Com a correria do dia a dia, alguns sintomas são considerados "comuns", como dor de cabeça, ansiedade, problemas com sono, cansaço, intolerância alimentar, irritabilidade e depressão. Ainda que o mundo esteja considerando esse estilo de vida normal, há quem comece a andar pela contramão e busque qualidade de vida. Mas nem sempre consumir medicação é 100% eficaz. Alguns problemas estão tão enraizados que é preciso aprofundar para descobrir a causa de tudo. 

Sempre aliada à medicina tradicional, a medicina natural tem se integrado aos cuidados com a saúde e com o bem-estar, respeitando a integridade completa de cada indivíduo e o equilíbrio. As terapias naturais ou integrativas, para a Organização Mundial de Saúde (OMS), podem ajudar na prevenção de doenças por terem um entendimento mais amplo do processo saúde-doença. Elas são baseadas em conhecimentos tradicionais, presentes no universo há milhares de anos, e que utilizam recursos disponíveis na natureza, como plantas, óleos, flores, métodos manuais, exercícios posturais e de respiração, métodos de auto-ajuda e até intervenções na alimentação. 

Existem várias técnicas utilizadas pelas terapias naturais, desde as que abrangem a área corporal às que abrangem a área vibracional. Na área mental, as práticas podem acessar sentimentos e emoções que provoquem problemas como depressão e ansiedade. 

A terapia do canto

Idealizadora da técnica Cantodrama, Débora Cestaro explica que o método é uma técnica psicodramática que utiliza o canto espontâneo e criativo como uma possibilidade terapêutica individualmente ou em grupos. "É um recurso do Psicodrama, que é uma abordagem de tratamento da psicologia, que pode ser utilizado como diagnóstico e tratamento de questões emocionais, comportamentais e existenciais".

Em sessões individuais ou em grupo, a terapia convida o paciente a criar e cantar sua própria música, sem exigir que as palavras sejam conhecidas ou façam sentido. O Cantodrama é uma técnica extremamente emocional, que acessa os níveis mais inconscientes do ser. Durante a sessão não é preciso pensar para fazer acontecer, basta sentir e deixar fluir. 

Através daquilo que se sente, com palavras "ininteligíveis" ou que contem sobre seus sentimentos, o paciente cria a canção. "Não precisam ser músicas que já existem. A criação é feita ali na hora, no aqui e agora, da música que expressa o que a pessoa está sentindo naquele momento", destaca Débora Cestaro.

Seja o medo de uma mudança, seja a angústia de uma separação, de acordo com Débora, em vez de falar com palavras, pelo uso da razão, o paciente é convidado a cantar. "O Cantodrama perpassa pela razão e pelo uso das palavras, cantado a gente abre o coração e fala daquilo que às vezes a gente não tem coragem de dizer, mas com o canto a gente diz. Cantar acessa o sistema límbico, o sistema que traz prazer, que libera endorfina, o cérebro relaxa. É muito profundo e pode ser muito divertido". 

A idealizadora alerta ainda que não há restrição de idade. "Um bebê não teria condições de fazer uma música, mas com a musicalidade do bebê, com a emissão dos sons, o jeito que ele fala, que balbucia, nós temos um indicativo se ele está nervoso, calmo, com fome. Não há limite de idade, é você estar inteiramente com o canto do outro, com a musicalidade do outro". 

Ainda segundo Débora, em grupo, o paciente pode estar em uma ligação télica. "Quando eu canto a canção que diz completamente como eu estou e eu reconheço o meu coração através do canto do outro", explica. 

Com o Cantodrama, o que pode ser tratado e resolvido são as questões do passado, questões do aqui e agora, dos sonhos e dos desejos para o futuro. "Eu posso cantar como eu gostaria que fosse o meu futuro, o que me espera. Ou falar do meu presente, o que eu preciso me transformar, o que eu estou sentindo aqui e agora. Ou do passado, a saudade do que já se foi, de alguém. Ou cantar refazendo uma cena ocorrida, coisas que não foram muito boas", pontua Débora.



A terapia das flores


As terapias naturais não substituem a medicina tradicional. A prática precisa ser aliada ao tratamento médico para a promoção da saúde. No entanto, em alguns casos, o paciente não precisa estar doente para procurar o tratamento. 
Os florais de Bach têm como objetivo o equilíbrio das emoções, utilizando compostos energéticos, chamados essências de florais, cada essência é indicada para trabalhar emoções especificas ou conjunto de emoções. A terapeuta Sônia Lima explica que a técnica foi desenvolvida por Edward Bach e compõe uma terapia alternativa, inspirada nas clássicas tradições homeopáticas.  
"Para o Dr. Bach, a personalidade da pessoa devia ser tratada, não a doença. A doença seria o resultado do conflito da alma e da personalidade. Comparando com um tonel de água, às vezes, a água está parada e não é possível ver as impurezas que estão escondidas no fundo, que pode ser entendido como o inconsciente, mas tudo que está guardado provoca uma reação ou algum comportamento. Com a terapia de florais, as 'sujeiras' escondidas aparecem na superfície e podemos, com amor e cuidado, fazer uma limpeza". 
Através de variados métodos, de acordo com Sônia Lima, é possível investigar o que está ocasionando o desequilíbrio e assim pode ajudar o paciente a lidar com problemas como: estresse físico ou emocional; dores nas costas; tensão excessiva; depressões; insônia; TPM; ansiedades; medos; síndromes; bloqueios e traumas.
"As terapias também podem ajudar a clarear questões como insatisfação no trabalho, problemas nos relacionamentos, falta de prosperidade financeira, baixa autoestima, falta de autoconfiança e inseguranças", destaca a terapeuta.
Ainda segundo Sônia, é sempre importante que o tratamento seja associado a medicina tradicional e é preciso buscar um profissional qualificado para avaliar o método mais adequado. "A escolha da terapia é tão importante quanto à escolha do terapeuta. O encontro deve ser confortável e de confiança, essa sintonia ajuda muito na evolução desses tratamentos".

Oferta na saúde pública

Em 2017, o Sistema Único de Saúde (SUS) passou a oferecer terapias naturais, como meditação, arteterapia, reiki, musicoterapia, tratamento naturopático, tratamento osteopático e tratamento quiroprático. Em 2018, foram incluídas práticas como aromaterapia, cromoterapia, hipnoterapia e terapia de florais.
Em Maceió, os pacientes do Bloco J do Posto de Atendimento Médico (PAM) Salgadinho, no Poço, têm acesso às práticas integrativas, como homeopatia, acupuntura e  Lian Gong, que é uma prática chinesa desenvolvida por um ortopedista, que descobriu os benefícios da união da medicina oriental com a ocidental para as articulações.


A coordenadora do Programa de Homeopatia da unidade, Lílian Espíndola, explica que há 16 anos o PAM Salgadinho oferta as práticas. "No início, foram pouco pacientes, mas hoje contamos com mais de 100. São mulheres, crianças, homens e idosos, que apresentam problemas osteoarticulares, depressão e ansiedade e têm o objetivo de melhorar a qualidade de vida, que tem problemas". 
O posto oferece ainda práticas como meditação, Reiki, Biomagnetismo, yoga e massagem, mas, segundo a coordenadora, essas ainda não estão regulamentadas pela Secretaria Municipal de Saúde e acontecem de forma voluntária. 
Para os atendimentos de homeopatia e acupuntura, os pacientes precisam ter prévio encaminhamento médico e a marcação para as consultas ocorre pelo Complexo Regular da Assistência (Cora). As receitas dos medicamentos prescritos são especiais e carimbadas com a marca do Sistema Único de Saúde (SUS) para que os pacientes possam obter descontos de 50% nas farmácias de manipulação conveniadas. "São disponíveis cinco profissionais na área de homeopatia e quatro na área de acupuntura. Temos registrado uma grande procura, que representa a eficácia do tratamento", destaca Lílian. 
Ela explica ainda que os pacientes gostam do atendimento por ser de uma forma individualizada, como é característica da homeopatia e da acupuntura. "O paciente é visto como um todo. Eles gostam que a prática do médico observar o doente e não a doença. Isso é muito importante para que o paciente se sinta bem durante a consulta e causa uma expectativa positiva e uma eficácia no tratamento, que faz com que o paciente retorne a consulta se sentindo bem". 


A coordenado alerta que, assim como na medicina tradicional, as práticas também têm limitações. "Não são todos os casos que a homeopatia e a acupuntura resolvem tudo, mas, com certeza, temos um registro de eficácia muito grande nos tratamentos realizados no Bloco J. Os benefícios são inúmeros. Não se trata apenas a doença, trata o doente. O que faz com que o paciente se sinta bem, melhore das queixas iniciais, melhore das condições gerais e tenha uma qualidade de vida melhor. O fato em si de ser uma medicina humanizada já ajuda bastante, o paciente se sente acolhido". 
No PAM Salgadinho os atendimentos começam ainda no primeiro ano de vida. "Ao longo desses 16 anos, temos pacientes que já são adultos e continuam sendo atendidos". Além das vantagens físicas para os pacientes, a saúde mental e a convivência são desenvolvidos por meio das atividades.

Por: Gazeta Web
 
Copyright © 2013 Ferreira Delmiro - Seu blog de notícias e opinião.
Shared by Themes24x7Powered byBlogger