ÚLTIMAS NOTÍCIAS . . .

Por Gilca Cinara e Lucas Alcântara
A presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TER/AL), Elizabeth Carvalho proibiu a venda e consumo de bebidas alcóolicas no dia das eleições, domingo (05), com base na Lei Seca. A venda será suspensa a partir das 22h do sábado e somente será liberada no domingo, após o término da votação.
A proibição deveria ser definida pela Secretaria Estadual da Defesa Social (Seds) por meio de publicação no Diário Oficial Estado, mas, como não foi feita, a atribuição coube à Justiça Eleitoral. A determinação é para bares, restaurantes, supermercados e outros estabelecimentos comerciais que trabalham com venda de bebidas.
A proibição de venda e consumo de bebidas alcoólicas, mais conhecida como Lei Seca, já chegou a ser aplicada de forma obrigatória em todo o Brasil nos dias de eleições. Atualmente, a aplicação da medida, que visa garantir a segurança durante o período de votação tem ficado a cargo de cada Estado, que publica uma portaria com os critérios de vigência da restrição.


Até o momento nove estados já confirmaram a adoção da Lei da Seca no primeiro turno das eleições gerais, no dia 5 de outubro. Espírito Santo, Santa Catarina e Pernambuco, optaram por não colocar a restrição em vigor. O Acre definiu que a capital, Rio Branco, não aplicará a medida, deixando a decisão de aplicar a proibição da comercialização de bebidas alcoólicas nas demais cidades nas mãos dos tribunais eleitorais locais.

Outras medidas
Ainda durante a sessão do Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE/AL), o pleno aprovou também a proibição a aglomeração de pessoas com a mesma vestimenta e também com instrumentos de propaganda eleitoral.  “É vedada, ainda, a padronização do vestuário dos fiscais partidários, nos trabalhos de votação, sendo permitido apenas a utilização de crachás, em que constem o nome e a sigla do partido político ou coligação a que sirvam”, detalhou a determinação do TRE/AL.
O porte de celular, máquina fotográfica, filmadoras ou equipamentos de radiocomunicação dentro da cabine de votação também foi vetado.  O descumprimento das normas poderá resultar em prisão.
Os delmirenses Wilson Oliveira e Willames Araújo foram destaques em campeonato de levantamento de peso Lifiting Rio no Estado de Rio de Janeiro no dia 20 de setembro deste ano.

Wilson Oliveira pesando de 67 quilos foi campeão no Supino Raw Adulto e Willames Araújo pesando 80 quilos foi campeão na categoria supino equipado.

Os campeões são os únicos alagoanos a participarem pela primeira vez do campeonato, Willames Araújo e Wilson Oliveira agradeceram o apoio dado pela vice-prefeita Ziane Costa e pelos advogados Renato Torres e Sérgio Torres.

Willames fez questão de frisar que se não fosse o apoio dado pelos atletas do estado de Espirito Santo que doaram equipamentos de condição para o levantamento de peso.

Em entrevista ao portal Radar 89 os campeões informaram que irão participar do proximo campeonato que irá acontecer no próximo ano, eles aproveitaram e pediram o apoio dos comerciantes de nossa cidade.

Fonte Radar 89

O prefeito de Santa Luzia do Norte, João Pereira da Silva (PT), foi afastado do cargo na tarde desta quarta-feira (1) pela maioria dos vereadores do município. Por seis votos a três, os representantes da Câmara Municipal entenderam ser procedentes as denúncias de infração política administrativa a que o chefe do Executivo está sendo acusado.

De acordo com presidente da Câmara, Edson Cícero Albino - o “irmão Edson” - o prefeito deverá ser notificado nessa quinta-feira (2) da decisão da Câmara. Com isso, ele será imediatamente afastado do cargo por um período de 30 dias e seu vice assumirá o comando da cidade. 

“Durante esse período, ele deverá apresentar sua defesa. Porém, a Câmara poderá afastá-lo por mais 30 dias, e depois mais 30, se achar necessário”, ressaltou o o vereador Edson Cícero Balbino.

O prefeito de Santa Luzia do Norte está sendo acusado de infração política administrativa. Entre as denúncias, consta doações de terrenos que teriam sido feitas este ano de forma irregular e com fins eleitoreiros.

João José Pereira da Silva também é acusado de estar com as prestações de contas da prefeitura atrasadas por quase um ano.

Procurado pela reportagem, ele disse que como não foi notificado, não iria se pronunciar.

Fonte gazetaweb.com
Por Assessoria
Para comemorar o Dia do Idoso - 1º de outubro – o Governo Municipal de Delmiro Gouveia, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Secretaria Municipal de Saúde, juntamente com o Conselho Municipal dos Direitos do Idoso, realiza nesta quarta-feira, evento em alusão à data. A partir das 16h, na Praça Multieventos, haverá mutirão para requerimento da carteira intermunicipal do idoso; verificação da pressão arterial e teste de glicose. Os idosos participarão ainda, de sorteios de brindes.
Os idosos deverão levar a seguinte documentação: comprovante de residência, número de NIS, CPF e RG.
Atividades com os idosos
 A Prefeitura Municipal de Delmiro Gouveia, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, desenvolve atividades para esse público. O Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos para Idosos no Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) realiza requerimento da carteira do idoso, e requerimento para o BPC (Benefício de Prestação Continuada) do idoso. Os idosos assistidos pelo CRAS são acompanhados, orientados e encaminhados para a rede e demais politicas públicas. A Secretaria desenvolve ainda, atividades físicas, artísticas e sócio-culturais, além de ensaios de dança.

Observa-se a atenção que o Governo Municipal de Delmiro Gouveia disponibiliza para os idosos, dando prioridade no atendimento público e certamente incentivando a todos os servidores em abrigar um carinho especial por cada Idoso que passa pelos setores, estimulando um bom atendimento, o respeito e a valorização.
Alan Silva (PRTB) foi denunciado por levar jovens ao RJ
 com a promessa de empregá-los em grande times (Foto: Divulgação)

Trinta e oito garotos de 13 a 21 anos foram trazidos do interior de Alagoas e da periferia de Maceió há 50 dias, acreditando na falsa promessa de que participariam de testes para jogar futebol no Vasco e no Fluminense. Após uma denúncia anônima, a Secretaria estadual de Direitos Humanos descobriu que os meninos eram submetidos a condições indignas numa casa alugada em Guapimirim, na Baixada Fluminense, violando diversos artigos do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Sem autorização formal dos pais para estarem no Rio, dividiam um único banheiro e eram os responsáveis por limpar a casa e lavar as roupas. O Ministério Público ajuizou uma ação civil pública, e o grupo volta esta semana para Alagoas. Na bagagem, os sonhos destruídos.


"O Alan mexeu com o meu sonho e o dos moleques. Não estou nem dormindo direito", contou um dos meninos.



O responsável por trazê-los é o candidato a deputado estadual em Alagoas Alan Nunes Silva (PRTB), que deixou o Rio há duas semanas, após depor no MP, e se diz diretor do projeto Gool de Placa, que traria garotos carentes do Nordeste para testes no Rio. Cada menino pagou R$ 550 ao acusado para custos da viagem de ônibus para o Rio.



O Vasco e o Fluminense negam conhecer Alan, que também prometeu a oito meninos um contrato com um time na Bélgica. A suposta viagem seria em novembro. Ao ser ouvido no MP, no entanto, Alan não soube dizer o nome do time ou de um eventual contato no país europeu. Tampouco sabia que a moeda belga é o euro ou que uma das línguas faladas é o francês. Alan dizia aos garotos que não sabia especificar o time porque seria “um nome complicado”.



"Enviei cópias da ação para o MP Federal e o MP do Trabalho, para que analisem se ocorreu tráfico de pessoas e trabalho infantil, respectivamente. Como há viagem marcada para a Bélgica se eles sequer têm passaporte?", explicou a promotora Soraia Salles, responsável pela ação.



Trabalho diário



Não há TV no local, e todos dormem em colchonetes finos. Os adolescentes ficam sob responsabilidade de Giédria Ferreira, de 36 anos, funcionária de Alan há dois meses, e Edilene Rocha, de 32, mãe de um dos meninos. São os garotos que fazem a arrumação e a limpeza, seguindo uma escala diária de trabalho. Caso não aceitem, são ameaçados com a perspectiva de retornar para Alagoas.



"Coloco disciplina. Eles têm medo. Exijo respeito. Sou muito carinhosa, mas existe a hora da disciplina. Os pais sabiam que eles viriam ajudar a gente nas tarefas. Ninguém pode dizer “meu pai não sabia disso”, disse Giédria.



A Secretaria de Direitos Humanos discordou:



"Os garotos estão fora da escola, sem acomodações dignas. É a exploração da vulnerabilidade", lamentou Monalyza Alves, da Casa de Direitos, órgão da secretaria.



Menino tratado como ídolo em Alagoas



Um dos jovens enganados por Alan com a promessa de ir jogar na Bélgica já era tratado como ídolo em sua cidade, no interior de Alagoas. Animado, o menino deu entrevistas ao vivo para a rádio da cidade, de menos de 30 mil habitantes.



"Todos na minha cidade estão muito felizes com essa novidade. Antes de viajar para a Bélgica, quero ir lá visitar todos. Acho que vou ser recebido com festa", contou o menino.



O MP identificou pelo menos três violações ao Estatuto da Criança e do Adolescente. Primeiro, a falta de acesso a educação, já que apenas cinco garotos estão matriculados na rede pública. Segundo, o precário acesso a saúde, pois os meninos relataram dificuldade de atendimento médico quando um deles passou mal. Finalmente, a falta de convivência familiar: eles estão há quase dois meses longe de casa.



Ainda não está claro qual seria o benefício de Alan ao enganar os garotos. Ele os selecionou em eventos pelo interior. A viagem de ônibus para o Rio seria custeada em parte pela contribuição dos pais, que concordaram com a viagem dos meninos. Quase todas as famílias já foram contatadas pelo MP e confirmaram, mas não foi apresentada nenhuma procuração que autorizasse Alan a estar com os garotos. Do total, 30 têm menos de 18 anos. Três dos maiores de idade retornaram para o Nordeste há duas semanas, com Alan.



O retorno dos demais será pago pela Prefeitura de Guapimirim e pelo governo do estado, que são réus na ação ajuizada pelo MP. A casa em que os garotos estão é vigiada por um carro da PM. Psicólogos e assistentes sociais da Prefeitura de Guapimirim e do estado têm conversado com o grupo. Alguns choram todos os dias. Na casa, eles dizem que a proprietária impede o uso do campo de futebol, para que o gramado não seja gasto. A única bola foi embora com Alan. A da foto acima foi levada pela equipe do EXTRA.



A versão do acusado



Pelas redes sociais, Alan assim escreveu: "Venho através desse pedir o apoio dos pais dos atletas, secretários de esporte, prefeitos e todo o povo Alagoano que nos apóie nessa luta. Devido a denuncia de trafico de crianças que foi feito referente a minha pessoa a promotora de justiça de Guapimirim – RJ esta lutando de forma aguerrida para que os garotos que levei para o Rio de Janeiro voltem para Alagoas. Alegando ela que os pais deixaram ser influenciados por um prato de comida. Vc moradores das cidades de Pilar, Coqueiro Seco, Marechal, Jequia da Praia, Feira Grande, São Sebastião, Craibas, Girau do Pociano, Maceio, Maribondo e Campo Alegre sabem que os garotos n são garotos de rua tem família tem pessoas capazes ao seu lado, acreditaram no meu trabalho e liberaram os filhos para que tentassem sonhar, uma denuncia de palhaços sem fundamentos n pode acabar com os sonhos dos filhos de vcs e o meu também garanto uma coisa os filhos de vcs n iram voltar se a promotora de justiça de Guapimirim obrigar os garotos a voltarem eu ALAN NUNES SILVA se tiver a autorizações do s pais levarei novamente e procurarei os meios de imprensa para torna os fatos públicos, quando trabalhamos para o bem do próximo n podemos nos acovarda falei perante a promotora de justiça e juiz da comarca de Guapimirim que n levaria os garotos de volta, n faltando com respeito aos mesmo mais vivemos em um pais livre, onde podemos escolher onde vivermos, mais fácil de que esta nos perceguindo o ministério publico poderia nos ajudar a matricular esses garotos que estão fora da escola n pq n quisermos matricular mais sim por falta de vagas nas escolas do municípios de Guapimirim, pesso o poio das famílias Alagoanas, Nordestina e Brasileiras e pesso a vc que compartilhe comentem e torne publico pq nordestino também é gente, tenhe o direito de sonhar. E vamos continuar sonhando. Pq n tantos jovens nas dogras em Guapimirim e os poderes públicos vai mobilizar, tantos jovens quais são os bandidos que levamos? É crime o jovem ter um sonho ? Ou nordestino n pode morar no Rio de Janeiro ? Por favor alguém mim responda pq estou sem resposta.



ALAN NUNES SILVA – Indiguinado"

Fonte gazetaweb.com
O Brasil está prestes a acabar. Para isso, basta a presidente Dilma Rousseff ser reeleita. Ao menos, é essa a tese de Arnaldo Jabor. Leia abaixo:
A lista dos perigos - ARNALDO JABOR
O que acontecerá com o Brasil se a Dilma for eleita?

Aqui vai a lista:

A catástrofe anunciada vai chegar pelo desejo teimoso de governar um país capitalista com métodos "socialistas". Os "meios" errados nos levarão a "fins" errados. Como não haverá outra "reeleição", o PT no governo vai adotar medidas bolivarianas tropicais, na "linha justa" da Venezuela, Argentina e outros.

Dilma já diz que vai controlar a mídia, economicamente, como faz a Cristina na Argentina. Quando o programa do PT diz: "Combater o monopólio dos meios eletrônicos de informação, cultura e entretenimento", leia-se, como um velho petista deixou escapar: "Eliminar o esterco da cultura internacional e a 'irresponsabilidade' da mídia conservadora". Poderão, enfim, pôr em prática a velha frase de Stalin: "As ideias são mais poderosas do que as armas. Nós não permitimos que nossos inimigos tenham armas, porque deveríamos permitir que tenham ideias?".

As agências reguladoras serão mais esvaziadas do que já foram, para o governo PT ter mais controle sobre a vida do País. Também para "controlar", serão criados os "conselhos" de consulta direta à população, disfarce de "sovietes" como na Rússia de Stalin.

O inútil Mercosul continuará dominado pela ideologia bolivariana e "cristiniana". Continuaremos a evitar acordos bilaterais, a não ser com países irrelevantes (do "terceiro mundo") como tarefa para o emasculado Itamaraty, hoje controlado pelo assessor internacional de Dilma, Marco Aurélio Garcia. Ou seja, continuaremos a ser um "anão diplomático" irrelevante, como muito acertadamente nos apelidou o Ministério do Exterior de Israel.

Continuaremos a "defender" o Estado Islâmico e outros terroristas do "terceiro mundo", porque afinal eles são contra os Estados Unidos, "inimigo principal" dos bolcheviques que amavam o Bush e tratam o grande Obama como um "neguinho pernóstico".

Os governos estaduais de oposição serão boicotados sistematicamente, receberão poucas verbas, como aconteceu em S. Paulo.

Junto ao "patrimonialismo de Estado", os velhos caciques do "patrimonialismo privado" ficarão babando de felicidade, como Sarney, Renan "et caterva" voltarão de mãos dadas com Dilma e sua turminha de brizolistas e bolcheviques.

Os gastos públicos jamais serão cortados, e aumentarão muito, como já formulou a presidenta.

O Banco Central vai virar um tamborete usado pela Dilma, como ela também já declarou: "Como deixar independente o BC?".

A Inflação vai continuar crescendo, pois eles não ligam para a "inflação neoliberal".

Quanto aos crimes de corrupção e até a morte de Celso Daniel serão ignorados, pois, como afirma o PT, são "meias-verdades e mentiras, sobre supostos crimes sem comprovação...".

Em vez de necessárias privatizações ou "concessões", a tendência é de reestatização do que puderem. A sociedade e os empresários que constroem o País continuarão a ser olhados como suspeitos.

Manipularão as contas públicas com o descaro de "revolucionários" - em 2015, as contas vão explodir. Mas ela vai nomear outro "pau-mandado" como o Mantega. Aguardem.

Nenhuma reforma será feita no Estado infestado de petistas, que criarão normas e macetes para continuar nas boquinhas para sempre.

A reforma da Previdência não existirá, pois, segundo o PT, "ela não é necessária, pois exageram muito sobre sua crise", não havendo nenhum "rombo" no orçamento. Só de 52 bilhões.

A Lei de Responsabilidade Fiscal será desmoralizada por medidas atenuantes - prefeitos e governadores têm direito de gastar mais do que arrecadam, porque a corrupção não pode ficar à mercê de regras da época "neoliberal". Da reforma política e tributária ninguém cogita.

Nossa maior doença - o Estado canceroso - será ignorada e terá uma recaída talvez fatal; mas, se voltar a inflação, tudo bem, pois, segundo eles, isso não é um grande problema na política de "desenvolvimento".

Certas leis "chatas" serão ignoradas, como a lei que proíbe reforma agrária em terras invadidas ilegalmente, que já foi esquecida de propósito.

Aliás, a evidente tolerância com os ataques do MST (o Stedile já declarou que se Dilma não vencer, "vamos fazer uma guerra") mostra que, além de financiá-los, este governo quer mantê-los unidos e fiéis, como uma espécie de "guarda pretoriana", como a guarda revolucionária dos "aiatolás" do Irã.

A arrogância e cobiça do PT aumentarão. As 30 mil boquinhas de "militantes" dentro do Estado vão crescer, pois consideram a vitória uma "tomada de poder". Se Dilma for eleita, teremos um governo de vingança contra a oposição, que ousou contestá-la. Haverá o triunfo "existencial" dos comunas livres para agir e, como eles não sabem fazer nada, tudo farão para avacalhar o sistema capitalista no País, em nome de uma revolução imaginária. As bestas ficarão inteligentes, os incompetentes ficarão mais autoconfiantes na fabricação de desastres. Os corruptos da Petrobrás, do próprio TCU, das inúmeras ONGs falsas vão comemorar. Ninguém será punido - Joaquim Barbosa foi uma nuvem passageira.

Nesta eleição, não se trata apenas de substituir um nome por outro. Não é Fla x Flu. Não. O grave é que tramam uma mutação dentro do Estado democrático. Para isso, topam tudo: calúnias, números mentirosos, alianças com a direita mais maléfica.

E, claro, eles têm seus exércitos de eleitores: os homens e as mulheres pobres do País que não puderam estudar, que não leem jornais, que não sabem nada. Parafraseando alguém (Stalin ou Hitler?) - "que sorte para os ditadores (ou populistas) que os homens não pensem".

Toda sua propaganda até agora se acomodou à compreensão dos menos inteligentes: "Quanto maior a mentira, maior é a chance de ela ser acreditada" - esta é do velho nazista.

O programa do PT é um plano de guerra. Essa gente não larga o osso. Eles odeiam a democracia e se consideram os "sujeitos", os agentes heroicos da História. Nós somos, como eles falam, a "massa atrasada".

É isso aí. Tenho vontade de registrar este texto em cartório, para depois mostrar aos eleitores da Dilma. Se ela for eleita.

Tribuna Hoje

Não são apenas os jovens que estão buscando a educação no Brasil. Os idosos, que comemoram hoje (1º) o seu dia, estão procurando, cada vez mais, desde o ensino básico até o  ensino superior. Alguns realizam o sonho de fazer a segunda graduação em uma área que sempre lhes despertou interesse, outros alcançam a meta de aprender a ler e escrever.

O Dia do Idoso foi instituído pela Organização das Nações Unidas e, posteriormente, escolhido para a criação do Estatuto do Idoso, que comemora 11 anos.

Neste ano, 15,5 mil idosos fizeram a inscrição no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O número de inscritos com 60 anos ou mais cresce anualmente. Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), no ano passado esses inscritos somaram 10,9 mil. Em 2009, foram 4,7 mil idosos.

O Enem é a porta de entrada para instituições de ensino superior e técnico, além do financiamento estudantil e intercâmbio acadêmico. Neste ano, as provas serão aplicadas nos dias 8 e 9 de novembro. No total, foram 8,7 milhões de inscritos.

“O aumento de idosos está sendo identificado em várias instituições de ensino superior. São pessoas aposentadas, que por vezes já têm diploma de ensino superior e buscam outros cursos. Procuram uma mudança de carreira ou a realização de um sonho”, diz o superintendente-geral de Educação a Distância do Centro Universitário Iesb, em Brasília, Francisco Botelho.

Ele lembra também os estudantes que buscam o ensino superior particular, sem bolsas. Segundo Botelho, muitos procuram os cursos a distância pela comodidade. O engenheiro agrônomo aposentado Tarcisio Siqueira é um desses estudantes. Ele tem 75 anos, 41 dedicados à agronomia. Depois de aposentado, para “exercitar o cérebro”, decidiu estudar engenharia civil a distância.
“O nível de entendimento daquilo que é repassado, de compreensão e assimilação, é diferente”, compara a segunda com a primeira graduação, concluída quando tinha pouco menos de 30 anos. “Tenho assimilado com mais facilidade por causa da experiência que acumulei. Tenho também mais tranquilidade com o conteúdo que é colocado”, diz.
Luiz Pereira de Souza, 84 anos, sapateiro aposentado, realiza o sonho de aprender a ler. E garante: “Estou me dando muito bem”. Luiz entrou neste ano em um grupo de alfabetização de adultos no Centro de Cultura e Desenvolvimento do Paranoá (Cedep), no Distrito Federal. Quando as aulas começaram, já sabia ler “alguma coisa e escrevia o nome”. Agora, ele, que é evangélico, consegue ler a Bíblia
“Estudar é muito bom, a gente aprende muita coisa, a ler, escrever, contar. A professora é gentil, tem muita paciência comigo”, diz o estudante.

“Na minha opinião, esses alunos procuram outro modo de vida, outro conjunto de pessoas, uma vida em que tenham representatividade. Quando chegam,  necessitam de carinho, atenção. Não é mais para entrar no mercado de trabalho, mas para se comunicar. É um sonho de aprender”, explica a  coordenadora de curso do Programa DF Alfabetizado, Eva Lopes. “A alfabetização muda a vida. Tive uma aluna que aprendeu a ler comigo, com mais de 80 anos. Ela me disse que começou a se deslocar mais quando aprendeu a ler a palavra Paranoá e sabia que ônibus devia pegar”, conta a alfabetizadora.

Os idosos são hoje no país 26,3 milhões, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O número representa 13% da população. A expectativa é que esse percentual aumente e que em 2060 chegue a 34%, segundo previsão do próprio IBGE.


Agência Brasil
Por Edivaldo Júnior/gazetaweb.com
Em 2012 publiquei aqui com alguns dias de antecedência, as projeções do professor Marcelo Bastos (diretor do Marcelo Cursos e Colégio Pontual),  a relação dos candidatos a vereador que deveriam ser eleitos em Maceió.
Ele acertou, em cheio.
Agora trago as projeções de Marcelo para as eleições de deputado estadual, publicadas no semanário Extra Alagoas. São projeções que confirmam pesquisas de “consumo interno” das principais coligações e batem com a avaliação de vários analistas. Eu também concordo, em grande parte, com elas.
O quociente eleitoral (número de votos necessário para eleger o primeiro candidato) é estimado entre 50 mil e 60 mil votos.
Considerando que eleição proporcional em Alagoas se decide por um conjunto de fatores (popularidade, carisma, dinheiro, poder e influência familiar, entre outros), a avaliação também de Marcelo para os prováveis eleitos para a Assembleia Legislativa é a seguinte:
PRTB/PPL/PMN deve eleger 3 ou 4 deputados, tendo como candidatos mais fortes Antônio Albuquerque, João Beltrão, Cícero Ferro e Francisco Tenório. “A coligação ainda conta com dois concorrentes com grande estrutura: Léo Loureiro e Jairzinho Lira”, aponta.
PSB, SD, DEM, PP, PPS, PRP, PR, PSDC devem eleger de quatro a seis deputados. Jó Pereira, Inácio Loiola, Jeferson Morais, Marcos Barbosa, João Caldas, Chico Holanda, Severino Pessoa, Alberto Sextafeira, são citados, pela ordem como os mais votados da coligação. Correm “por fora” no grupo: Ângela Garrote e o Pastor João Luiz.
PDT, PMDB, PSC, PTB e PSD, acredita o analista, deve eleger 10 deputados. Os nomes mais contados no atual cenário são: Sérgio Toledo, Ricardo Nezinho, Olavo Calheiros, Dudu Holanda, Isnaldo Bulhões, Luiz Dantas, Cícero Cavalcante, Wilson Júnior, Cidoca, Jota Cavalcante e Alves Correia. “Correm por fora”, mas não serão eleitos: Thaise Guedes, Tarcizo Freire, Ferreira Hora, Dr. Ronaldo Luz e Kil.
PROS, PT do B, PHS, PC do B e PV deve eleger dois. Marcelo Victor será o “puxador de votos”. Na briga pela segunda vaga da coligação estão Carimbão Júnior e Professor Edvaldo.
PT usou a mesma estratégia do último pleito para deputado estadual e não fez coligação pode eleger até três deputados. Judson Cabral, Marquinhos Madeira, Ronaldo Medeiros e Pinto de Luna almejam são os mais cotados.
PSDB/PRB deve eleger de dois a três estaduais: Bruno Toledo, Gilvan Barros Filho, Edval Gaia Filho, Galba Novais e Rodrigo Cunha estão na disputa, sem favoritos, aponta Marcelo.
Com a proximidade do primeiro turno das eleições no domingo (5), a Justiça Eleitoral tem algumas regras que não podem ser esquecidas por candidatos, partidos políticos e coligações.
Segundo a Lei Eleitoral, amanhã (2) é o último dia para a exibição da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão. É também o prazo final para os candidatos fazerem reuniões públicas de campanha, comícios e para a utilização de aparelhagem de som fixa, entre as 8h e a meia-noite.
Quinta-feira também é a data limite para a realização de debates políticos na televisão ou no rádio. Debates iniciados no dia 2 podem se estender, no máximo, até as 7h do dia 3 de outubro. Também até amanhã, partidos políticos e coligações terão que indicar à Justiça Eleitoral o nome das pessoas autorizadas a expedir as credenciais dos fiscais e delegados de partido que estarão habilitados a acmpanhar os trabalhos de votação.
Sexta-feira (3) será a data limite para que se faça a divulgação paga, na imprensa escrita, a reprodução na internet do jornal impresso, de propaganda eleitoral. Ainda nesta sexta-feira, os presidentes de mesa que não tiverem recebido o material destinado à votação deverão comunicar a falha ao juiz eleitoral.
No sábado (4), termina a propaganda eleitoral com uso de alto-falantes ou amplificadores de som, entre as 8h e as 22h. Carreatas, caminhadas, passeatas e a distribuição de material gráfico também só poderão ser feitos até as 22h deste sábado.
Desde terça-feira (30), até 48 horas depois do encerramento da votação, nenhum eleitor pode ser preso ou detido, salvo em flagrante delito ou em virtude de sentença criminal condenatória por crime inafiançável, ou ainda por desrespeito a salvo-conduto. A proibição de prisão de candidatos está em vigor desde o último dia 20. No entanto, quem concorre a cargo eletivo pode ser detido ou preso em caso de flagrante delito.
Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, a competência para proibir a venda de bebidas alcoólicas no dia da votação é da Secretaria de Segurança Pública de cada estado, município ou do Distrito Federal.

Agência Brasil
Nas placas, ela é representada curvada, apoiada em uma bengala. Mas, na vida real, parte da população de 60 anos ou mais tem imagem diferente. Com maior expectativa e qualidade de vida, os idosos, que comemoram hoje (1º) o seu dia, têm viajado mais, estudado, comprado e ocupado espaços públicos e virtuais. O Dia do Idoso foi instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) e a data, posteriormente, foi escolhida para a criação do Estatuto do Idoso, que comemora 11 anos.
“Dá preguiça não fazer nada”, sintetiza Elisabete Carvalho do Santos, representante de uma geração que se mantém ativa na velhice. Aposentada, 80 anos, ela dança, canta e vai à igreja. “Já trabalhei muito e não deixo de trabalhar. Quando estou em casa, gosto de fazer crochê e tricô”, diz.
Os idosos são hoje no país 26,3 milhões, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O número representa 13% da população. A expectativa é que esse percentual aumente e que em 2060 chegue a 34%, segundo previsão do próprio IBGE.
O pesquisador do IBGE Marden Barbosa atribui o aumento do índice e também da qualidade de vida a uma melhoria na saúde e na condição material dos idosos, embora  "persistam as mesmas desigualdades encontradas entre as populações mais jovens", ressalta. “A esperança de vida aumentou muito devido à redução da mortalidade infantil”, explica. Segundo ele, a esperança de vida em 2000 era 69 anos, em 2014 saltou para 75 e a projeção para 2060 é 81 anos.
A pesquisa Panorama dos Idosos no Brasil, do Data Popular em parceria com o Instituto Opinião, mostra que a renda dos brasileiros com 60 anos ou mais atingiu R$ 446 bilhões em 2013, o que corresponde a 21% da renda total da população brasileira.
“A sociedade tem visão estereotipada do idoso, com doenças, que consomem recursos da saúde. Que a velhice significa doença e não fazer nada”, constata o presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, João Bastos Freire Neto. “É importante dizer que é uma pequena parcela da população idosa que está nessa condição, não é a maioria dos idosos”, acrescenta.
Segundo ele, uma boa qualidade de vida na juventude, cuidados com a alimentação e a prática de exercícios ajudam a ter uma velhice mais saudável.  Além do que se pode prevenir, ele destaca os avanços da medicina. “Uma pessoa com mais de 60 vai ter mais doenças crônicas, mas doenças como diabetes, doenças coronarianas podem ser controladas [com medicamentos], sem gerar incapacidade física”.

A idade, no entanto, assusta. Não é raro o medo do envelhecimento. A preocupação em construir uma imagem diferente para os idosos foi o que motivou o movimento Nova Cara da 3ª Idade, da agência Garage IM. O alvo da mudança é o símbolo do idoso, presente em placas e adesivos.

“Hoje, o idoso é retratado como uma pessoa em decadência, curvado e dependente de uma bengala (como nas imagens que o representam), da ajuda de terceiros. Isso não é mais verdade. Há perda de vitalidade, mas o idoso hoje vive mais, está mais saudável, ativo e produtivo. O país está em processo de envelhecimento e levantar essas questões é uma forma de começar  a conscientização da sociedade sobre o tema”, diz o fundador da Garage IM e criador do movimento, Max Petrucci.

A agência criou um novo símbolo, no qual uma pessoa aparece ereta ao lado de 60+. A proposta é que as pessoas imprimam a nova representação e a espalhem em espaços públicos. “Além da experiência e do conhecimento acumulado, que são de grande valor para a sociedade, essas pessoas são ativas, bem dispostas e têm o tempo disponível para viver uma vida em que podem escolher o que querem fazer e como querem. É um novo momento na vida e é possível passar longe da imagem do velho resmungão”, acrescenta Petrucci.

Agência Brasil
A presidente Dilma Rousseff, candidata do PT à reeleição, segue atacando as incoerências da candidata do PSB, Marina Silva, sobre a questão da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira). Ao cumprir agenda nesta terça-feira, 30, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, Dilma disse que um presidente "não pode mentir".
"Eu acho que um presidente pode se equivocar. Um presidente é humano, ele pode errar. Um presidente pode se confundir. Só tem uma coisa que um presidente não pode fazer: não pode mentir. Nós afirmamos que no caso da CPMF, nas duas ocasiões em que houve, primeiro a votação pra criar a CPMF, segundo, a votação pra prorrogar a CPMF, a candidata Marina nas duas oportunidades votou não, mas disse na minha frente e na frente de todo o Brasil, constatado pela imprensa, que ela tinha votado sim. Não é verdade, não votou sim. Agora eu acredito que é muito importante que as pessoas assumam o que fazem. Errar é humano, mentir é desvio de caráter", disse Dilma ao final da entrevista coletiva. 
Durante o debate entre os presidenciáveis na Band, na sexta-feira, 26, Marina usou a votação da CPMF no Congresso para falar de sua atuação no Senado e disse: "ainda que meu partido [PT] fosse contra". Marina voltou a ser questionada sobre o tema no debate da Record, no domingo, 28. No ar, ela falou que votou favorável ao imposto, mas para jornalistas, após o encontro, a candidata mudou a versão dizendo ter sido favorável apenas na comissão. Na segunda-feira, 29, o PSB divulgou nota informando que o PT "distorce a realidade e mente sobre a questão da CPMF". 
Durante a agenda no Rio, Dilma prometeu que, se conseguir um novo mandato, construirá no Rio de Janeiro uma universidade do esporte, usando a infraestrutura dos equipamentos deixados de legado pelos Jogos Olímpicos, que serão disputados na cidade em 2016. O Parque Olímpico está sendo construído na Barra da Tijuca, zona oeste da cidade.
"Uma universidade do esporte de alto rendimento, que sirva também como referência de esporte de base", explicou Dilma. "Ou instituto federal tecnológico do esporte, não decidimos o nome, decidimos o conceito. Os nossos melhores esportistas precisam ensinar os mais novos. Precisamos criar uma cultura e uma ciência do esporte."

Dilma participou de um evento com atletas que apoiam sua candidatura, como o ex-jogador de futebol Cafu, o jogador de  vôlei Marcelo Negrão, a judoca Rafaela Silva, o velejador Torben Grael e o campeão de triatlon paralimpico Leonardo Curvelo.

Tribuna Hoje
Tolerância e um entendimento maior sobre o próprio futuro são alguns dos benefícios que se pode obter de uma amizade entre pessoas com grandes diferenças de idade entre si.
"Aprender com a experiência de vida dos mais velhos não significa (apenas) ficar ouvindo histórias", diz ao iG a psicóloga Simone Bracht Burmeister, mestre em gerontologia biomédica e autora do livro Família e Pessoa Idosa: Reflexão e Orientação (Ed. Sinodal).
Entre outras aprendizagens importantes que se pode tirar da convivência com os mais velhos, a psicóloga destaca, por exemplo, a aceitação das diferenças de cultura, de pensamento, de agilidade, a valorização da saúde e da própria vida, o exemplo de lutar pelo que se quer, a chance de receber um conselho sobre uma relação que não anda bem, além de dicas de como lidar com um filho, com uma doença ou uma perda.
Conhecimento e tolerância
A amizade entre pessoas de gerações distintas expande "a visão do todo, não apenas de aspectos pessoais, mas a partir da visão de quem já viveu mais, o que (para o jovem) é um benefício enorme", diz Lenita Sampaio, geriatra e membro da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia.
"Para a maioria das pessoas mais velhas a habilidade emocional é diferente, elas são mais carentes. Para a pessoa que está querendo se aproximar há a vantagem de (os idosos) estarem mais abertos a novas amizades."
Ao demandar mais atenção, o idoso desafia os mais jovens ao mesmo tempo em que pode encantá-los com suas narrativas únicas do passado e com toda a vivência acumulada.
"O idoso requer paciência, tem o humor geralmente mais deprimido, pode ter dificuldades para viver e isso pode ser chato para o jovem, que está ainda com muita energia. A pessoa mais velha tem outro tempo, faz as coisas mais devagar, tem conversas mais longas", explica a geriatra.
No entanto, se o mais jovem tiver a curiosidade de ouvir o que um idoso tem a dizer, a amizade pode até mesmo acrescentar cores totalmente novas às lições aprendidas até então.
"Há fatos da história recente que nem sempre estão nos livros. E, mesmo que estejam, ouvir de quem viveu um momento histórico é muito mais interessante", acrescenta Simone.
Trocas
Um caminho que viabiliza a amizade entre as gerações pode surgir no momento em que uma pessoa com menos idade se predispõe a trocar conhecimentos com o idoso.
"A avalanche de tecnologia pode ser um bom motivo para aproximar jovens e velhos. Os idosos querem aprender a usar a internet, as redes sociais, saber passar uma foto do celular para o computador", destaca a psicóloga.
A amizade com grande diferença de idade pode surgir no ambiente familiar, na vizinhança e em eventos nos quais o jovem já está inserido, lembra Simone.
"O mais importante nas relações intergeracionais é a possibilidade de troca. Uma geração se alimenta da outra, aprende com a outra. O jovem pode aprender e amadurecer e o idoso pode se sentir mais jovem."
Derrubando mitos
"Acreditar que o idoso é pacato, que só fica em casa e é preguiçoso é um mito que está sendo quebrado", diz Lenita. No entanto, a especialista levanta um tema alvo de preconceito.
"O sexo ainda é um tabu. Os jovens acham que a pessoa mais velha não faz sexo, há muita brincadeira em relação a isso, mas as pessoas estão se mobilizando para mudar. Como tudo na vida, o sexo fica diferente com a idade, mas não deixa de existir."
"O mito é de que o idoso é incapaz, coitado, fraco ou que só gosta de coisas entediantes e calmas" é outro que pode ser quebrado com uma amizade entre gerações, acredita Simone.
"Há idosos com todos os perfis e conhecê-los bem pode ser surpreendente", defende a psicóloga, lembrando ainda que a relativa “lentidão” do idoso pode ser um estímulo para o jovem "desacelerar" um pouco.
"Fazer as coisas devagar pode ser muito prazeroso", ressalta.
Espelho do futuro
A diferença entre as gerações pode ser desafiadora e trazer reflexões sobre a própria velhice daqueles que hoje são novos.
"Os jovens podem aprender a envelhecer. Os idosos de hoje não tiveram modelos, porque há 40 ou 50 anos uma pessoa com 45 ou 50 anos já era considerada velha e poderia morrer antes de completar 60. Os idosos de hoje pouco conviveram com outras pessoas idosas e, por isso, não sabiam como era envelhecer até chegarem a esta fase", compara Simone.
"Temos de parar para pensar hoje nas coisas que fazemos que vão garantir uma qualidade no futuro, questões como fazer uma atividade fisica, cuidar de problemas como depressão", alerta Lenita.
"O idoso que fuma ao longo da vida toda adora falar que 'se arrependimento matasse, eu não teria fumado'. Isso é bom, por exemplo, para a gente encarar as coisas e ter essa consciência."
Fonte: IG
Candidatos ao governo do Estado participam de debate (Foto: Gazetaweb)

O debate promovido pela TV Gazeta na noite dessa terça-feira (30) reuniu seis candidatos a governador de Alagoas. Renan Filho (PMDB), Benedito de Lira (PP), Júlio Cezar (PSDB), Mário Agra (PSol), Joathas Albuquerque (PTC) e Coronel Goulart (PEN) puderam expor as propostas de governo por cerca de duas horas. O debate foi intermediado pelo jornalista Tonico Ferreira, da Rede Globo. 

Os candidatos puderam fazer perguntas entre si com temas livres e também escolhidos por sorteio. O primeiro a fazer um questionamento foi Biu de Lira, que escolheu Renan Filho para perguntar sobre ações realizadas pelo PMDB ao longo dos anos, que teriam trazido prejuízos para os alagoanos. Renan, no entanto, ao responder, ressaltou a própria gestão à frente da prefeitura de Murici e também das ações realizadas pelo candidato a vice em sua chapa, Luciano Barbosa, quando foi prefeito de Arapiraca. 

De Júlio Cezar, Renan Filho quis saber quais seriam as propostas para o desenvolvimento da Educação. O candidato do PSDB respondeu que a contratação de novos professores e a erradicação do analfabetismo seriam suas prioridades. 

Júlio Cezar questionou o candidato Mário Agra sobre a área da Saúde, o qual respondeu que faria diferente do que Júlio Cezar e Teotonio Vilela, Renan Filho e Benedito de Lira propõem. Sem expor os projetos, ele afirmou apenas que “boa parte desses recursos [que deveriam ser destinados para a saúde], além dos incentivos fiscais, acabam destinados ao pagamento imoral de uma dívida pública impagável. Na tréplica, ele apresentou uma proposta para a redução da dívida pública. 

Mário Agra foi o quarto candidato a fazer perguntas. Ele escolheu o candidato Joathas Albuquerque (PTC) para falar sobre os incentivos fiscais dados a empresas. Joathas afirmou que ‘meia dúzia de empresas mamam nas tetas do Estado’ e que, caso seja eleito governador, vai solicitar o apoio ao Ministério Público Estadual nessa questão. 

Joathas Albuquerque perguntou ao Coronel Goulart sobre o fato de ele ter ingressado na Justiça para participar do debate promovido pela TV Gazeta . Na resposta, o Coronel Goulart lembrou que o critério usado pela TV Gazeta foi a presença no Congresso Nacional, mas ressaltou que o PEN não existia em 2010 (última eleição). Ele conseguiu na Justiça o direito de participar do evento. 

O debate seguiu intermediado pelo jornalista Tonico Ferreira. Temas como Canal do Sertão, combate às drogas, acessibilidade, fontes de arrecadação, segurança pública, habitação, analfabetismo, meio ambiente e setor sucroenergético foram abordados pelos aspirantes ao Executivo Estadual. 

Alfinetadas entre os candidatos também não faltaram. Em uma delas, o Coronel Goulart questionou Benedito de Lira sobre as aposentadorias recebidas por ele. 

No último bloco, os seis candidatos apresentaram as considerações finais e aproveitaram para pedir o voto dos alagoanos no próximo domingo.

Fonte gazetaweb.com

Por Assessoria

Durante os dias 25 e 26, na escola municipal Eliseu Norberto, professores de Delmiro, Água Branca, São José da Tapera, Olho D' Água do Casado e Piranhas estiveram reunidos em oficina sobre “Planos Municipais de Educação - O PME em Cinco Etapas e o Caderno de Orientações”, ministrada por Josineide Fernandes, Técnica e Avaliadora Educacional - UNDIME e MEC.

Nos dias 10 e 11 de julho na Escola Estadual Watson Clementino de Gusmão Silva, aconteceu o primeiro encontro com Oficinas de Análise Situacional, Construção de Texto Base, Consulta Pública e Aprovação da Lei de Criação dos Planos Municipais de Educação; ministradas pelo Luiz Carlos Santos de Oliveira - Avaliador Educacional, Técnico do MEC, responsável pela Orientação e Alinhamento dos Planos Municipais do Alto Sertão.

Os encontros preparam os professores - de cada município - para elaboração de seus respectivos Planos Municipais de Educação (PME).

A Secretaria Municipal de Educação de Delmiro Gouveia, através da Portaria número 01 de 2014, Art.1, constituiu a Comissão Técnica Municipal para a elaboração do PME; ao tempo em que nomeou representantes de vários segmentos para se tornarem membros, e deu início aos trabalhos de Construção do referido Plano.



A sociedade alagoana vive a expectativa do próximo pleito eleitoral. Os que almejam participar de tal pleito apresentam com veemência suas propostas nos meios de comunicação, em reuniões, passeatas, comícios, nas redes sociais e até mesmo nas investidas do chamado “corpo a corpo”.  Autodenominam-se como os “Messias” desses tempos difíceis, que têm a solução para todos os problemas. Alguns já velhos conhecidos, até com seus insucessos políticos, utilizando-se de métodos que não condiz com a postura de quem almeja ser um político decente, buscam mais uma vez anestesiar as consciências dos seus eleitores tentando de todas as formas ganhar o seu voto.
           
 Creio que é chegado o momento de o eleitor analisar com a máxima atenção tais posturas, para não usar seu voto para eleger pessoas descompromissadas com o bem comum, e que fazendo mal uso de tal arte (política – arte de governar para o bem de todos) causam prejuízos irreparáveis para todo um povo.
             
Os índices lastimáveis como o analfabetismo, a criminalidade, a mortalidade infantil e tantos outros envergonham o nosso lindo Estado de  Alagoas e revelam de forma clara o tamanho do compromisso que a maioria dos nossos políticos têm para com essa gente sofrida.
           
 Diante disso faz-se urgente refletir:
            
- Qualquer país, estado ou município que se queira democrático, sadio e comprometido com o futuro deve exigir dos seus dirigentes valores como a probidade administrativa, o exemplo de uma vida norteada por princípios morais, e o compromisso com os menos favorecidos. Espera-se, numa sociedade democraticamente madura, que os seus governantes sejam uma referencia ética no âmbito público;
            
- No nosso tão sofrido Estado de Alagoas faz-se necessário por demais uma purgação de nossa classe dirigente. Outra coisa não tem norteado a conduta da grande maioria dos nossos representantes políticos a não ser estas: corrupção, violência, prepotência, truculência, cinismo e grande falta de compromisso para com o povo alagoano. O próximo pleito mostra-se como um momento cheio de esperança, pois será a nossa hora e a nossa vez de banirmos do cenário da política esses maus políticos;
            
- Há um aspecto que deve ser também considerado: numa sociedade democrática quem elege os governantes é o povo. É o momento de fazermos um profundo exame de consciência. Quem elege e reelege seus governantes somos nós mesmos. Que nenhum de nós se esqueça: aqueles que foram eleitos ou reeleitos e que nada fizeram foram colocados nos altos cargos governativos por nós. Não deveríamos nós também de tudo fazer para não mais elegê-los se estes não correspondessem aos anseios do povo que o elegeu? Por que ainda os elegemos?
           
 - Uma outra reflexão faz-se necessária. Alguns dirão que a culpa pela  ascendência do mal  político é do povo simples que é enganado, dos analfabetos que vendem seus votos. Vamos devagar com esses raciocínios  mal feitos e com essas frases da moda adquiridas nas prateleiras dos supermercados das consciências ignorantes. Não podemos culpar somente os pobres e os analfabetos por tal desfecho. Sabemos perfeitamente que nas classes média e alta também há compra e venda de votos. Muda somente o preço: uma cesta básica para o pobre e um cargo público para as classes mais altas. É preciso admitir que há sim culpa e má fé na sociedade, culpa de muitos que vendem o seu voto, colocando um interesse pessoal, ilícito e imoral acima do bem comum. A situação de penúria moral dos nossos políticos é culpa nossa também, e por não reagirmos terminamos por pagar um alto preço.
            
Aproximam-se as eleições e depois de tudo que o Estado de Alagoas estar passando nos perguntemos: com quais critérios iremos votar? Aqui está realmente a questão que importa se quisermos para Alagoas um futuro diferente do presente que estamos vivenciando. Agora é a nossa vez de dizer com voz forte que Estado queremos construir, que políticos queremos, utilizando bem a poderosa arma que o Brasil, como estado de direito democrático , pôs em nossas mãos, o nosso VOTO.

Pe. José Aparecido da Silva

Pároco da Paróquia Nossa Senhora do Rosário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...