ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Colunistas

Em Delmiro

Educação & Oportunidade

Destaques

Diversos

Política

Saúde e Bem Estar

Mundo

Projeto Casca

CASCA – Centro de Ação Social para Crianças e Adolescentes, é uma entidade associativa, sem fins lucrativos, apolítica, composta por pessoas físicas unidas no ideal de fraternidade e consciência social. É uma instituição de Solidariedade.

Faça sua arte com Anderson C. Sandes

Panfletos, cartões de visitas, fachadas, flyers, blogs, logotipos, camisetas e muito mais...

quarta-feira, 22 de março de 2017

Com objetivo de alcançar até 80 mil crianças, programa é lançado em Alagoas

Com a meta de atingir entre 60 e 80 mil pessoas em Alagoas, o governador Renan Filho (PMDB) e o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra (PMDB), lançaram, nesta quarta-feira (22), o programa Criança Feliz no Estado. A solenidade aconteceu no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso com a presença também de prefeitos. 
A iniciativa tem como objetivo promover o desenvolvimento integral das crianças na primeira infância. Ela é voltada para os inscritos no Bolsa Família e vai acompanhar semanalmente, em casa, recém-nascidos até meninos e meninas com três anos de idade, prometendo fortalecer o cuidado, a proteção e a educação. 
Segundo o ministro, a expectativa no Brasil é chegar a um milhão de crianças em 2017 e, esta semana, os municípios já receberam um repasse 45% maior no Sistema Único da Assistência Social (Suas). O governo federal também pagará os visitadores, que receberão uma média de R$ 1950. Alagoas teve uma adesão de 97% das cidades.
"O município não vai gastar nada com o programa. Aqui em Alagoas teremos milhares de visitadores, supervisores, multiplicadores. Recurso não vai faltar e queremos que Alagoas tenha o máximo de crianças possível no programa até para ser um estado de vanguarda nesse processo", afirmou ele.
Ministro Osmar Terra esteve em Alagoas para lançar o programa
FOTO: LARISSA BASTOS




















Osmar Terra adiantou que o projeto não vai visar apenas a parte alimentar ou o acompanhamento de doenças, mas deve trabalhar ainda "competências, habilidades e inteligências". Nascidos com deficiências neurológicas, incluindo os que tiveram Zika vírus, serão acompanhados até os seis anos. 
"As crianças mais pobres têm uma desvantagem em relação à criança de classe média. A mãe mais pobre tem uma gravidez com menos recursos, a criança já nasce num ambiente mais estressante, o vocabulário é menor. É importante que o início da vida seja bem estimulado e vamos acompanhar em casa essas crianças pequenas".
O governador Renan Filho reformou a importância da ação, ressaltando que ela "emancipa e dá mais autonomia as crianças brasileiras". Segundo ele, a iniciativa deve dar uma infância mais digna e com os estímulos necessários para a entrada tanto na fase escolar quanto na vida adulta.
"Queremos quebrar a perpetuação da pobreza, que é mãe pobre, analfabeta e filho mal cuidado, futuramente pobre e analfabeto também. De maneira que se tivermos mães pobres e analfabetas por erros do passado, podemos ter filhos bem cuidados e isso abre portas. Isso significa que na idade adulta ela vai conseguir melhorar sua vida", disse.
O chefe do Poder Executivo também opinou ter diminuído o trabalho infantil no Estado. "Às vezes as pesquisas levam em consideração alguns trabalhos que as famílias fazem em casa e as crianças participam, mas hoje em dia não tem mais aquele trabalho como existia antigamente em Alagoas, porque tem uma série de programas do Governo Federal que minimiza isso".
Operação
Citado na operação Lava Jato devido a doações para sua campanha eleitoral ao governo de Alagoas, Renan Filho afirmou, durante a solenidade, estar tranquilo com relação à questão, levantada após delações premiadas. De acordo com ele, as contas teriam sido aprovadas pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE).
"Minhas contas de campanha foram devidamente aprovadas pelo TRE e sempre pautei minha vida pela probidade na conduta pessoal e administrativa. Sou o maior interessado na mais profunda investigação, capaz de elucidar todos os fatos e também de não cometer injustiças. Acho que isso que deve acontecer nos próximos meses e estou aguardando com toda a tranquilidade".


GazetaWeb.com

Tiroteio fora do Parlamento britânico deixa feridos


Um tiroteio fora do Parlamento britânico, em Londres, deixou feridos na tarde desta quarta-feira (22). A política britânica trata o incidente como um ataque terrorista até que a motivação dos disparos fique clara, segundo a Reuters.

Não há um balanço oficial de vítimas e as informações ainda estão desencontradas. Um susposto atirador foi baleado pela polícia.

A GloboNews afirma que 10 pessoas ficaram feridas. Um fotógrafo da Reuters afirma ter visto cerca de uma dezena de pessoas machucadas na Ponte de Westminster. Já um funcionário do Parlamento disse à Reuters que duas pessoas tinham sido baleadas. Deputados relataram à rede BBC ter ouvido três ou quatro disparos.

O incidente aconteceu após a sessão semanal de perguntas para a primeira-ministra, Theresa May. Ela está em segurança, segundo a France Presse.

A polícia disse ter sido chamada por volta de 14h40, no horário local (11h40, no horário de Brasília). A polícia isolou o local e as atividades parlamentares foram suspensas. Um porta-voz da Câmara dos Comuns indicou à AFP que os deputados foram confinados no interior do Parlamento em função de "um incidente de segurança".

O caso está sendo tratado até o momento como um incidente com arma de fogo. Não sabe a motivação dos disparos.


GazetaWeb.com

STF suspende, em caráter liminar, Lei da Escola Livre em Alagoas

A polêmica sobre a chamada "Lei da Escola Livre", aprovada pela Assembleia Legislativa de Alagoas em abril de 2016, ganhou um novo capítulo nessa terça-feira (21). O ministro Luiz Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu uma liminar suspendendo na integralidade a lei.

"(...) Diante do exposto, defiro a liminar pleiteada para determinar a suspensão da integralidade da Lei 7.800/2016 do Estado de Alagoas. Inclua-se em pauta para referendo do plenário. Intime-se. Pulique-se", diz a decisão que está publicada na página de acompanhamento de processos do STF.

A decisão atende a um pedido feito por meio de Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) impetrada em maio do ano passado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino (CONTEE). O mérito da ação, no entanto, será julgado pelo pleno do Supremo.

A "Lei da Escola Livre", como ficou conhecida a Lei 7.800/2016, foi promulgada em 5 de maio do ano passado, após muita polêmica. O governador Renan Filho (PMDB) chegou a vetar o texto aprovado pelo Legislativo, mas os deputados estaduais derrubaram o veto e promulgaram a legislação.

O texto da lei prevê que a "neutralidade política, ideológica e religiosa do Estado" e garante "o direito dos pais de que seus filhos menores recebam a educação livre de doutrinação".

À época da votação do projeto, sindicatos ligados à educação protestaram na Assembleia Legislativa e falaram sobre os riscos de cerceamento da liberdade de ensino. 

Nesta manhã, o presidente do Sindicato dos Professores de Alagoas, Eduardo Vasconcelos, divulgou uma nota na qual classificou a posição do ministro Barroso como "equilibrada". "O direito básico da liberdade de expressão foi respeitado. Os professores da rede pública ou privada não podem atuar com uma mordaça", ponderou. 


GazetaWeb.com

Fundo Internacional ressalta trabalho de Plano de Desenvolvimento do Canal do Sertão

O Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (Fida), por meio de seu oficial no Brasil, Leonardo Bichara, elogiou o estudo desenvolvido pelo Governo de Alagoas na busca pelo desenvolvimento da agricultura e pecuária familiar, em consonância com as metas do Fundo voltadas à erradicação da pobreza, principalmente no polígono das secas no Nordeste brasileiro.

A observação foi feita após o lançamento do Plano de Desenvolvimento do Canal do Sertão pela Secretaria de Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura (Seagri) na segunda-feira (20). Com a ação, o Governo do Estado vai estimular o aproveitamento sustentável dos recursos hídricos pelos agricultores familiares que vivem no alto sertão alagoano e garantirá assistência técnica contínua aos contemplados pelos projetos de inclusão produtiva.

“Por meio do Fida, o Estado de Alagoas faz parte do Projeto Dom Helder Câmara II, que contempla oito municípios. Destes, quatro estão inseridos no plano lançado, que iniciou com a obtenção de recursos e passou por etapa importante de diagnóstico realizado junto às famílias”, destacou Bichara.

O Plano é fruto de trabalho desenvolvido em parceria com o Fida e contou com apoio técnico da equipe do Instituto de Inovação para o Desenvolvimento Rural Sustentável de Alagoas (Emater/AL) para intercâmbio de informações junto às famílias ribeirinhas dos

O diretor-presidente da Emater/AL, Carlos Dias, explica que, através do Plano de Desenvolvimento, será prestada assistência técnica diferenciada às famílias do alto sertão.

“Enquanto em algumas áreas do estado a relação de técnicos por família é de um para 80 agricultores, na área englobada pelo Plano iremos disponibilizar um técnico para cada 30 agricultores. Essa é uma decisão de governo no sentido de aumentar ainda mais o esforço em busca do aumento da renda e da melhoria da qualidade de vida destas famílias”, frisou Dias.

Ainda segundo Dias, a Emater/AL foi parceira do trabalho desde o início, ouvindo diretamente as demandas dos agricultores e levando as informações para a construção do plano de desenvolvimento, criando uma forte relação com os beneficiados. Na fase inicial, 132 famílias serão atendidas.

Esperança no Sertão
O aproveitamento qualificado dos recursos hídricos vindos do Canal do Sertão vem sendo visto com bons olhos pelos agricultores da região, já que possibilita o cultivo de culturas que garantem mais desenvolvimento às famílias.

É o caso da agricultora Maria José, de Delmiro Gouveia, que destaca a iniciativa como “esperança para o povo do sertão”. A agricultora explica que hoje planta hortaliças de fácil cultivo no tempo de seca e, quando há chuva, opta principalmente pelo plantio de milho e feijão, prática que deve ser mais frequente com a chegada da água do Canal.

“A água é o que há de mais importante para quem vive do plantio. Esses dias choveu e todo mundo logo pegou suas enxadas para plantar milho. Com o projeto, temos esperança para dar certo, porque com a água chegando sempre pra gente dá até para criar animais de pequeno porte como ovelha e galinha e melhorar a forma de nos manter e tirar nossa renda”, ressaltou.


Agência Alagoas

Aliança global contra o Estado Islâmico se reúne em Washington

A coalizão de países que luta contra o grupo extremista Estado Islâmico (EI), no Iraque e na Síria, se reunirá hoje (22) em Washington, capital norte-americana.

Representantes diplomáticos de 68 países estarão presentes para discutir estratégias e avaliar as ações da aliança global até o momento. Será a primeira reunião da coalizão da era Trump e o encontro será conduzido pelo secretário de Estado, Rex Tillerson.

Exterminar o grupo foi uma das promessas de campanha do presidente Donald Trump. Depois que assumiu o cargo em Janeiro, ele ordenou que o Pentágono elaborasse um plano para encerrar as atividades do EI.

A imprensa norte-americana repercute postura otimista em relação ao sucesso da operação pois, até o momento, o grupo já teria perdido 65% dos territórios que ocupava.

Para financiar a operação, houve um aumento da previsão orçamentária para a estratégia militar no país. Para o ano fiscal 2017/2018, Trump enviou ao Congresso uma proposta que prevê aumento de 10% nos recursos destinados à área de defesa. No ano fiscal 2016/2015, foram destinados US$ 596 milhões para o setor.

A aliança global contra o Estado Islâmico foi criada em 2014 e desde então se reúne anualmente. O encontro é visto pela imprensa norte-americana como uma oportunidade avaliar o desempenho do Secretário de Estado Rex Tillerson, ao debater um tema delicado que envolve vários países que, apesar de um objetivo comum, apresentam divergências.

A reunião está prevista para começar às 10h no horário local (11h, em Brasilia), e deve se estender até o fim da tarde.


Agência Brasil
 
Copyright © 2013 Ferreira Delmiro - Seu blog de notícias e opinião.
Shared by Themes24x7Powered byBlogger