ÚLTIMAS NOTÍCIAS . . .

Os acidentes com animais peçonhentos podem levar a graves problemas de saúde, sequelas e até óbitos. E para orientar a população, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) alerta para os cuidados que a população deve observar para evitar o revés.

No Hospital Escola Dr. Hélvio Auto, de janeiro a março deste ano, 875 pessoas procuraram atendimento por causa de picadas de animais peçonhentos. Segundo o médico infectologista do HEHA e professor da Uncisal, Fernando Maia, a maioria das pessoas picadas por animais peçonhentos que procuram atendimento no Hospital Hélvio Auto são vítimas de escorpião.

De acordo com o técnico da Diretoria de Vigilância e Controle, Animais Peçonhentos, Leptospirose e Raiva, Valmi Costa os animais peçonhentos são definidos como os que são capazes de produzir veneno e possuem algum apêndice para injetá-lo para sua defesa ou ataque de uma presa. “Os animais mais comuns em Alagoas são escorpiões, aranhas, cobras além de lacraias, águas-vivas e caravelas”, explicou o técnico.    

O técnico destacou que os cuidados devem ser observados no lar. “Deve-se sempre ter cuidado ao entrar em lugares que ficaram fechados por muito tempo, sempre bata os colchões antes de usa-los, sacuda com cuidado roupas, sapatos, toalhas e lençóis que ficaram por um longo período sem uso”, informou Valmi Costa.

O técnico também ressaltou que é importante afastar as camas das paredes e vedar frestas e buracos em paredes e assoalhos além de manter a limpeza da casa e evitar o acúmulo de lixo. “Os cuidados diminuem o risco dentro de casa”, explicou lembrando que ao se deparar com um animal venenoso o cidadão deve manter uma distância segura dele e entrar em o Corpo de Bombeiros através do número 193.

No Estado, o escorpião responde pela grande maioria dos casos envolvendo animais venenosos, mais de 90% segundo dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan). O técnico Valmi Costa lembrou que em caso de picada deve-se lavar o local com água e sabão, mantendo a vitima em repouso e com o membro afetado mais elevado que o restante do corpo. “Após a constatação da picada deve-se procurar ajuda médica e se possível levar o animal para auxiliar o diagnóstico”, destacou.

Em Alagoas, existem oito unidades de referência para o tratamento às vítimas de animais peçonhentos: Unidade de Emergência Dr. Daniel Hoully, em Arapiraca; Hospital Carvalho Beltrão, em Coruripe; Unidade Mista Dr. Antenor Serpa, em Delmiro Gouveia; Hospital Regional Santa Rita, em Palmeira dos Índios. As pessoas podem procurar ainda a Unidade Mista Senador Arnon de Melo, em Piranhas; Unidade de Emergência Antônio de Jesus, em Penedo; Unidade Mista Djalma dos Anjos, em Pão de Açúcar; e Hospital Escola Hélvio Auto, em Maceió.

 No entanto, na capital, a gerente de Controle de Zoonoses e Vetores da Sesau recomenda que a vítima procure um dos cinco Ambulatórios 24 Horas. Isso porque, apenas os casos moderados e graves, de acordo com Silvana Tenório, devem ser encaminhados para o Hospital Escola Hélvio Auto. O Ambulatório Assis Chateaubriand está situado no Tabuleiro do Martins, o Dom Miguel Câmara, na Chã da Jaqueira, João Fireman no Jacintinho, Denilma Bulhões, no Benedito Bentes e Noélia Lessa, no bairro da Levada. 

Em casos mais delicados, a vítima deve ser encaminhada para o Hospital Escola Dr. Helvio Auto (HEHA), que por receber demanda específica e por ser unidade  de referência, só admite pacientes com encaminhamento ou em casos excepcionais de atendimento daqueles que compõem grupo de maior risco.

Relato - Foi o que aconteceu com o aposentado José Luiz dos Santos, 65 anos, que mora no Conjunto Virgem dos Pobres II, no bairro do Vergel do Lago, e deu entrada no último dia 22 no HEHA. Ele estava limpando uma calha de esgoto na casa do primo do bairro de Jaraguá quando foi picado por um escorpião.  "Eu fui colocar uma grade pra tirar a sujeira do esgoto dentro de casa mesmo e não vi que o bichinho estava lá, fui picado no dedo indicador da mão direita. Logo que eu fui picado, por instinto eu matei o bicho". Por ter mais de 60 anos, o aposentado foi atendido diretamente no Hospital Helvio Auto, sem apresentar encaminhamento, pois por causa da idade, uma picada comum de escorpião pode trazer complicações graves.

Já é a segunda vez que José Luiz foi picado por escorpião, e nas duas vezes procurou atendimento no Hospital Helvio Auto. "Da primeira vez que fui picado, foi em casa, no Vergel mesmo, também estava limpando umas coisas no quintal e vim direto pra cá". "Eu deveria ter ido para o posto de saúde, mas vim direto pra cá, porque era mais perto e estava com muita dor, a minha mão estava latejando, graças a Deus fui atendido logo que eu cheguei. Já aplicaram o medicamento e agora estou em observação."

A médica plantonista do Pronto Atendimento do Hospital Helvio Auto, Elaine Belo explicou que como o paciente tinha mais de 60 anos e só estava se queixando de dor e com todas as funções vitais normais, só foi necessário fazer um bloqueio anestésico e deixá-lo em observação para ver como ele reage ao medicamento. "Se a dor passar completamente após a aplicação do anestésico local, ele já pode ir para casa após o período de observação. É importante que ele fique em observação por causa da idade, que é um fator de risco importante em empeçonhamentos em geral. Crianças e idosos são os mais ameaçados e requerem mais cuidados", concluiu a médica plantonista.

No caso de picadas de cobra, é importante a vítima capturar o animal, e trazê-lo vivo ou morto para o Hospital Helvio Auto, dentro de um recipiente, para que possa ser identificado e assim administrar o soro antiofídico adequado. "Cerca de 90% das pessoas que procuram atendimento aqui no hospital são vítimas de escorpião do tipo amarelo, que é a espécie mais comum na nossa região. Já em relação às picadas de serpentes, o mais comum são aparecerem vítimas de jararaca, que é tendência no Brasil, seguidas por cascavel e coral", esclareceu o médico.
Sob os olhares atentos das duas maiores centrais sindicais do país – a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a Força Sindical –, o Senado deve se concentrar nas próximas semanas na discussão do Projeto de Lei 4.330/2004, que regulamenta a terceirização.

O texto aprovado na última quarta-feira (22), na Câmara dos Deputados, tem com principal polêmica a terceirização de qualquer setor de uma empresa, incluindo sua atividade principal, a chamada atividade-fim.

A proposta divide CUT e Força Sindical, que prometem grandes manifestações a favor e contra o projeto no Dia do Trabalhador, 1º de maio. “A luta não acaba com a votação na Câmara, o projeto ainda passará no Senado. Nós estaremos na rua e teremos um 1º de maio de luta. Vamos ampliar as mobilizações, fazer novos dias de paralisações e, se necessário, uma greve geral para barrar esse ataque nefasto e criminoso aos direitos da classe trabalhadora brasileira”, disse o presidente da CUT, Vagner Freitas. Ele avalia que a proposta precariza as relações de trabalho e “rasga” a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT).

A avaliação da Força Sindical, no entanto, é outra. O presidente da entidade sindical, Miguel Torres, diz que “a regulamentação vai dar mais força para o sindicato negociar e organizar a categoria, e acabar com esse mito de que o trabalhador terceirizado vai continuar sendo precarizado. Com essas medidas, o trabalhador terceirizado não será precarizado”.

Em defesa da proposta, a Força argumenta que o texto aprovado pelos deputados preservou pontos considerados fundamentais, como o que estabelece que a empresa contratante terá que ser solidária com a contratada e garantir todos os direitos trabalhistas e previdenciários dos trabalhadores terceirizados. Além disso, o trabalhador continua na mesma categoria, se for do mesmo ramo de atividade da contratante, o que , segundo a Força Sindical, garante todos os direitos da Convenção Coletiva do sindicato.

No Senado, as opiniões também estão divididas e, por enquanto, o único ponto de consenso entre os parlamentares é que o texto precisa ser analisado calmamente. “Ter pressa nessa regulamentação, significa, em outras palavras, regulamentar a atividade-fim, e isso é um retrocesso, uma pedalada no direito do trabalhador", ressaltou o presidente da Casa, senador Renan Calheiros (PMDB-AL).

“Eu acho que essa questão da terceirização é fundamental à proteção do trabalhador. E essa proteção se estende às chamadas empresas terceirizadas. Tem muitas nuances nessa disputas, vamos analisar isso com calma, com profundidade, sem nenhum açodamento”, disse o líder do PMDB, Eunício Oliveira (CE), acrescentando que alguns pontos precisam ser modificados no Senado, como o que trata da atividade-fim.

O líder do Democratas, senador Ronaldo Caiado (GO), disse que precisa reunir a bancada para saber que posição será tomada em relação à polêmica.

Para o vice-presidente do Senado, Jorge Viana (PT-AC), a discussão na Câmara foi atropelada. “Espero que, no Senado, esse projeto da terceirização possa ter um tratamento adequado e se garanta o direito dos trabalhadores, e que a atividade-fim não venha a ser objeto de terceirização”. Para ele, dois pontos são fundamentais na discussão: modernizar a legislação e preservar os direitos do cidadão.

Já o tucano Álvaro Dias (PR) adiantou que a tendência é que o partido vote a favor do texto da Câmara. “Trata-se de aprimorar a legislação. As terceirizações já ocorrem. No país há ausência de um marco legal para que elas ocorram da forma mais adequada, em beneficio dos trabalhadores. Precisamos aguardar o projeto para uma análise apurada das alterações que foram promovidas”, afirmou.

A senadora Ana Amélia (PP-RS) lembrou o compromisso do presidente do Senado com o senador Paulo Paim (PT-RS) de marcar uma sessão temática para debater o assunto no plenário da Casa. Nesse caso, são convidados especialistas contrários e favoráveis para esclarecer dúvidas dos parlamentares. “Temos que votar alguma coisa em terceirização, temos que dar segurança jurídica para 12 milhões de brasileiros”, ressaltou.

Se os senadores mudarem algum ponto do texto, a matéria volta a ser debatida na Câmara. Se for aprovada como está hoje, ela segue para sanção presidencial. O presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), rechaçou os argumentos de que o projeto foi votado a toque de caixa, lembrando que a proposta está em tramitação há 11 anos, e lembrou a prerrogativa da Câmara de decidir sobre a matéria.

“A última palavra sempre será da Câmara, que é a casa iniciadora. Então, se mudar lá [no Senado], certamente os deputados vão apreciar as mudanças e podem concordar ou não", alertou.

Agência Brasil
Prefeitura inicia levantamento topográfico. Delmirenses receberão escrituras de seus imóveis gratuitamente

 As ações para a regularização da documentação de imóveis, começaram a virar realidade na última quinta-feira (23), em Delmiro Gouveia. A Prefeitura Municipal iniciou serviço de levantamento topográfico, em imóveis do município. A iniciativa é da presidência do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL) e da Corregedoria Geral da Justiça (CGJ/AL).

Em 24 de março o Prefeito de Delmiro, Luiz Carlos Costa, assinou o termo de adesão ao programa Moradia Legal II. O Prefeito esteve acompanhado por gestores dos municípios de Mata Grande, Inhapi, Marechal Deodoro, São José da Tapera, Maragogi, Pão de Açúcar, Poço das Trincheiras e Cacimbinhas.

Com a assinatura do convênio, o município se responsabilizou pelo serviço de topografia e em disponibilizar um servidor municipal e um computador para o cartório durante o processo de regularização dos imóveis. Os primeiros títulos de posse devem ser entregues em até 90 dias após a implantação do projeto. 

Assessoria
Na ilustração, modelo de um centro especializado; secretária Rozangela Wyszomirska afirma que iniciativa vai desafogar as unidades com serviços especializados em Maceió e Arapiraca, melhorando o fluxo de atendimento para os municípios e as respectivas regiões de saúde (Fotos: Ilustração e Carla Cleto)
Danielle Cândido

O Governo do Estado estuda a viabilidade de construir Centros de Especialidades e Diagnóstico nas dez regiões de saúde do Estado. Com a proposta, o cidadão passa a ter acesso a determinadas especialidades na sua própria região, reduzindo o tempo de espera, ou mesmo o deslocamento para a capital, no momento de realizar consultas eletivas.

A implantação dos Centros de Especialidade é uma continuidade da proposta da descentralização dos serviços de saúde preconizada pelo Ministério da Saúde (MS). A iniciativa tem como meta desafogar as unidades polos das sedes da primeira e segunda macrorregião de saúde.

“Essa iniciativa vai desafogar as unidades com serviços especializados em Maceió e Arapiraca, melhorando o fluxo de atendimento para os municípios e as respectivas regiões de saúde”, explicou a secretária de Estado da Saúde, Rozangela Wyszomirska.

Ela informou que a primeira etapa do projeto é o mapeamento das regiões, para determinar quais os municípios vão receber esses centros. “Existem alguns critérios para firmar o município como referência para o Centro de Especialidades e Diagnóstico”.
                                                                                                       
Esses critérios compõem a segunda fase do projeto, que será o cadastramento, onde já existem alguns municípios em análise, como Porto Calvo, União dos Palmares, São Miguel dos Campos, Penedo, Palmeira dos Índios, Santana do Ipanema e Delmiro Gouveia, além de Maceió e Arapiraca.

Segundo explicou o diretor de Atenção Hospitalar da Sesau, Rogério Barboza, após a construção dos Centros de Diagnóstico, o encaminhamento para as consultas especializadas será feito pela Atenção Básica. Já a escolha das especialidades médicas e dos exames a serem disponibilizados vai ser estabelecida de acordo com a necessidade e o perfil epidemiológico dos municípios que vão ser referência para a implantação dos centros.

Agência Alagoas
O governo de Alagoas tem empenhado um papel fundamental, de articulação, para a reabertura da Camila – unidade de beneficiamento do leite – no Sertão. O governador Renan Filho conduziu, nesta sexta-feira (24), mais um debate parar trazer solução ao resgate da fábrica.

Para o chefe do Executivo, a reabertura da unidade resolveria um problema que hoje afeta todo o Sertão e principalmente a Bacia Leiteira. “A cadeia produtiva do leite precisa da finalização, da industrialização do produto. Com a produção do leite em pó, longa vida, queijo mecanizado cria-se um mix que permite o faturamento elevado o ano inteiro”, explicou Renan Filho.

Atualmente, a Cooperativa de Produção Leiteira de Alagoas (CPLA) reúne mais de 4.500 produtores. Na ocasião, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Luiz Dantas, tratou sobre o momento. “É importante o envolvimento do Governo e da bancada federal para que possamos financiar a reestruturação da indústria aos tempos atuais. É um passo importante para a região, para o setor, que passa por uma crise. Esse encontro viabiliza o resgate de um patrimônio”, avaliou.

O deputado federal Givaldo Carimbão revelou a necessidade da modernização atender aos padrões do Serviço de Inspeção Federal (SIF). “Somente adaptada ao SIF, a cooperativa poderá vender seus produtos para a Conab [Companhia Nacional de Abastecimento], por exemplo”, pontuou o parlamentar.    

Uma nova visão sobre a ampliação do mercado foi apresentada pelo presidente da CPLA, Aldemar Monteiro. “Esse é um projeto estruturante, de economia solidária. A nossa ideia não é depender dos programas sociais, estes são um start. Precisamos andar com as nossas próprias pernas. Esse é o objetivo da cooperativa”, declarou.

Da parte do governo do Estado, Renan Filho assegurou que a compra do produto à CPLA para o Programa do Leite será mantida. Na última quarta-feira (22), o conselho gestor do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza (Fecoep) autorizou a liberação de R$ 6,4 milhões para a iniciativa, que viabiliza a distribuição de leite para 80 mil famílias alagoanas.

Agência Alagoas
Aderval Tenório cobrou da câmara de vereadores e do executivo municipal ações no sentido de defender o povo delmirense dos atos da CHESF e da CASAL.

“Penso que o vereador no exercício do mandato tem poderes infinitos em defesa do seu povo. A CHESF por exemplo faz de Delmiro Gouveia uma bolsa de miséria e entulhos de seu empreendimento. Nenhum vereador e muito menos o prefeito se rebela contra os atos da CHESF e muito menos da casal, talvez pelo de fato de evitar confronto político com o governo.”

Aderval defendeu uma separação entre os interesses políticos e a necessidade do povo delmirense.

“É preciso separar o ato político da imperiosa necessidade do povo de Delmiro Gouveia, defender o povo nos seus direitos é mais importante. Na maioria das vezes o político só pensa em si mesmo e não na coletividade, cuja razão é o mandato que o povo lhe outorgou.”

Para Aderval Tenório falta independência da câmara para defender os interesses da sociedade.

“Entendo que é chegada a hora dos vereadores entregarem todos os cargos (empregos e indicações) ao prefeito e tomar um rumo independente em prol da sociedade e do futuro de Delmiro Gouveia, o qual está se desfiando em má gestão administrativa voltada para o "eu", não, para o povo.”

Por Assessoria
O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), divulgou nota ontem (24) na qual nega que engavetará o projeto de lei que trata da regulamentação de serviços terceirizados. Ele diz que não pode “sonegar o debate de qualquer tema” e que o Senado discutirá criteriosamente o assunto, “ouvindo todos os interessados”, inclusive trabalhadores e empresas.

“Sempre defendi a regulamentação como elemento insubstituível para a segurança jurídica, ampliação da previsibilidade do mercado e resolução do problema do setor, que emprega atualmente mais de 12 milhões de trabalhadoras e trabalhadores”, diz a nota.

Ontem, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse que, caso Renan Calheiros atrase a votação deste projeto no Senado, os deputados vão atrasar a análise do projeto de lei que trata da convalidação dos incentivos fiscais concedidos por estados – matéria que é originária do Senado. Segundo Cunha, os dois projetos “vão andar no mesmo ritmo”.

Apesar da garantia de que não vai impedir a análise do projeto originário da Câmara, Renan reafirmou a posição contrária à legalização da terceirização de mão de obra na atividade-fim das empresas.

“Terceirizar a atividade-fim, liberar geral, significa revogar a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), precarizar as relações de trabalho e importa numa involução para os trabalhadores brasileiros. Um inequívoco retrocesso. É sabido que os servidores terceirizados têm carga de trabalho superior, recebem salários menores e a maioria não tem oportunidade de se qualificar melhor”, diz o senador.

Ele minimizou a divergência com Cunha e disse que não irá “polemizar com o presidente da Câmara”. “Tal controvérsia só interessa àqueles que não querem o fortalecimento e a independência do Congresso Nacional, àqueles que têm horror ao ativismo parlamentar. Não há nenhuma matéria importante oriunda da Câmara dos Deputados que não tenha sido apreciada pelo Senado Federal”, diz ainda a nota divulgada por Renan.

O projeto que trata da terceirização de mão de obra deverá passar por cinco comissões no Senado, onde serão promovidas audiências públicas e debates sobre a matéria. Nas comissões poderão ser apresentadas emendas modificando o texto aprovado pela Câmara, que provocou forte polêmica, em especial com as centrais sindicais. Depois de aprovado nas comissões, o projeto seguirá para o plenário do Senado e, se realmente for alterado, precisará retornar à Câmara para última análise dos deputados, antes de seguir para sanção ou veto da presidenta Dilma Rousseff.

Agência Brasil



Uma audiência pública realizada nesta sexta-feira (24), na Câmara de Vereadores de Delmiro Gouveia, teve como pauta a mancha escura que apareceu no  Rio São Francisco há cerca de duas semanas. A reunião, proposta pelo vereador Edvaldo Nascimento, reuniu representantes de diversos segmentos ambientais, da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal), bem como autoridades políticas e comunidade, que lotou a Casa Legislativa. Alunos da Escola Luiz Augusto também participaram do debate.

A audiência foi comandada pelo presidente Valdo Sandes e contou com a participação do Promotor João Batista, representando o Ministério Público de Delmiro Gouveia; o secretário de Estado adjunto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Edilson Ramos e o Deputado Inácio Loiola, que formaram a mesa.

Ainda fizeram parte do debate o gerente de qualidade da Casal, Alfredo Brechó; o supervisor de tratamento da Casal Edvânio José da Silva; a coordenadora geral de energia elétrica da diretoria de licenciamento ambiental do IBAMA, Regina Montenegro; o Administrador Regional da Chesf Augusto Cezar; o engenheiro do departamento de Meio Ambiente da Chesf, Thiago Aragão; Ermi Ferrari, da fiscalização do IMA; Manoel Messias, do laboratório do IMA; o comerciante Zeca Queirós, representando a comunidade, além dos parlamentares, Edmo Oliveira, Pedro Paulo, Carlos Roberto Cacau Correia, Geraldo Xavier, Milton Lisboa, Carlos José Bezerra (Gato), Francisco de Assis (Kinho) e Marcos Costa.

O vereador e autor da audiência Edvaldo Nascimento abriu o debate ressaltando a importância da discussão para a região. “Estamos aqui reunidos para debater essa mancha escura que apareceu no Rio São Francisco, saber a sua causa e procurar soluções para que a nossa população tão sofrida não seja ainda mais penalizada pela má qualidade da água que está chegando às residências. Que possamos realizar um bom debate, buscando alternativas para este problema que assola nossa região sertaneja”, falou.

Em seguida, o Deputado Inácio fez uma trajetória sobre a história do Rio São Francisco ressaltando fatos que contribuem para a degradação do mesmo e cobrou providências sobre a mancha escura que estão nas suas águas. O deputado acusou a Chesf de ser a causadora, em virtude do esvaziamento dos reservatórios e assim proliferando a alga que está causando a mancha. “Precisamos nos irmanar e nos juntar contra essa degradação do nosso Rio São Francisco. Entendo que a causadora dessa mancha é a Chesf e é preciso que sejam tomadas as devidas providências”, frisou.

O promotor João Batista enfatizou que o Ministério Público estará em defesa da população, especialmente a delmirense, e cobrou da Chesf que aumente a vazão da água para que a mancha, que é composta de microalgas, seja levada embora. “O Ministério Público é para defender o povo e se o que precisa para a remoção da mancha é um aumento de vazão da água, é preciso que isso seja feito, porque a população não merece passar por isso. Ressalto que o Ministério Público de Alagoas, Bahia e Sergipe está fazendo o levantamento dos prejuízos para que o povo seja ressarcido. Vamos trabalhar para que tudo isso seja reposto”.

O secretário de Estado Edilson Ramos disse que o governo do Estado está empenhado em elucidar o problema, que tem causado tantos transtornos para a população de oito municípios e também frisou que “se for preciso o aumento da vazão da água pela Chesf para que a questão seja resolvida, que seja feito”. Para o supervisor de tratamento da Casal, Edvânio, que apresentou um estudo sobre o impacto da mancha na distribuição de água pela companhia, a culpa seria da Chesf na proliferação das algas e cobrou também que sejam tomadas as providências. “A Casal também é uma vítima dessa mancha tanto quanto foi a sociedade”, disse.

O engenheiro Thiago Aragão, representante da Chesf, pontuou os questionamentos feitos pelos palestrantes e defendeu a empresa. “A maioria das instituições já pegou o viés de que a mancha é culpa da Chesf, mas a empresa não se manifestará porque aguarda o laudo com o real motivo desta mancha”. Ele falou ainda que sobre o esvaziamento dos reservatórios ocorridos em fevereiro foram tomadas todas as devidas providências.

Os representantes do Ima, Manoel e Ermi, apresentaram laudos conclusivos de que a  Chesf seria a responsável pela proliferação das microalgas. “Agradecemos à Câmara de Vereadores por este debate e estamos aqui para que a população tenha ciência do que realmente está acontecendo. Podemos dizer que a Chesf é a causadora desse problema e frisar que o IMA está à disposição para buscar uma solução”, falou Manoel.

A coordenadora do IBAMA, Regina,  falou sobre os laudos emitidos pelo órgão, enfatizando que o mesmo tem responsabilidade na realização do seu trabalho. Diante das colocações sobre a Chesf, o administrador regional Augusto Cézar frisou que caso seja constatado que a Chesf tem culpa, ela não irá fugir da sua responsabilidade. “Garanto ao senhores, caso haja culpa da Chesf, ela não irá fugir da sua responsabilidade. Vamos aguardar o laudo para ver o que diz”, frisou. Em homenagem ao rio, Zeca Queirós leu uma poesia.

O debate foi encerrado com os questionamentos dos vereadores Edmo oliveira, Francisco de Assis (Kinho) e Pedro Paulo, que cobraram uma solução eficaz para o problema. “O que estamos vendo aqui é muita falácia, mas precisamos ter uma resolutividade para o problema crítico que atinge nossa população. Isso é inadmissível”, falou Edmo. “O Rio São Francisco vem sofrendo, a população sendo prejudicada e ficamos somente no discurso. Que essa audiência seja um grande passo para uma resolução efetiva e uma resposta que a sociedade precisa”, disse Pedro Paulo.

Da audiência, que foi concluída pelo 1º vice-presidente Carlos Roberto Cacau, será elaborado um documento com tudo que foi discutido e enviado aos órgãos pertinentes. Ainda estiveram presentes à reunião o gerente da divisão de operação da Chesf Elerson Carlos da Silva; o gerente de manutenção civil da Chesf, Flávio Marcelo; o superintendente de interior da Casal, Antônio Fernando; o gerente da unidade Sertão da Casal João Neto; o médico veterinário Carlos Alberto; o gestor ambiental da Fábrica da Pedra, Haroldo Almeida; o secretário municipal de Meio Ambiente Jamil Cordeiro e o seu adjunto Marcos Freiras; a coordenadora da Vigilância Sanitária municipal Carla Damasceno e a secretária de Educação Rosa Freire.

Por Ascom

A Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) informou, na tarde desta sexta-feira (24), que vai recorrer da multa de R$ 650 mil aplicada pelo Instituto de Meio Ambiente de Alagoas (IMA) por danos ambientais ao Rio São Francisco. O auto de infração aplicado pelo IMA se deu porque o instituto constatou, por meio de laudos técnicos, que a empresa contribuiu para o surgimento da mancha negra no Velho Chico. 

Por meio da assessoria de imprensa, a Chesf esclareceu que, desde o dia 9 de abril, vem buscando informações junto a órgãos de pesquisa e ambientais, monitorando a mancha deceratium furcoide, que seria o tipo de alga acumulada no reservatório de Xingó, procurando, desta maneira, apurar as causas mais prováveis e minimizar os efeitos do fenômeno. 

Ainda segundo a assessoria, a Chesf tem enviado relatórios e laudos de análises para as diversas instituições, além de participado de reuniões institucionais, a exemplo dos encontros com os órgãos ambientais e com o Comitê da Bacia Hidrográfica do São Francisco, na busca por soluções para resolver o problema. 

Nesse sentido, a Companhia diz que, em parceria com o Operador Nacional do Sistema (ONS), vêm implantando operações de pulsos de vazão com o objetivo de diluir a mancha. “Tais operações vêm surtindo efeitos, com diminuição gradativa da dimensão e densidade da mancha. Porém, até o momento, ela não se dispersou por completo”, informa a nota divulgada à imprensa. 

A multa aplicada pelo IMA é consequência do surgimento da mancha negra que se espalhou por 34 km do Velho Chico, o que impossibilitou a pesca e o abastecimento de água em oito municípios do Sertão alagoano. A mancha é resultado, segundo investigação, da proliferação das algas, consequência da alta salinização da água.

Segundo informações do diretor de Monitoramento e Fiscalização do IMA, Ermi Ferrari, as evidências técnicas indicam que o esvaziamento de um reservatório da Usina de Paulo Afonso, feito pela Chesf, seria a única operação que poderia ter causado um problema como o que aconteceu no São Francisco. 

De acordo com a assessoria do IMA, além do auto de infração, o instituto cobrou também que a Chesf realize ações com o objetivo de minimizar o impacto ambiental, além de recuperar a aérea atingida.

gazetaweb.com
O Deputado Inácio Loiola fez duras criticas a gestão de Lula Cabeleira, durante entrevista concedida no quadro Radar Político do programa radar 89 da rádio Delmiro FM.

 “Delmiro Gouveia precisa ser oxigenado. Eu comparo o atual governo de Delmiro Gouveia àquela foto de Tancredo Neves, quando se montou ele e dizia que ele estava bom, e por dentro ele estava podre. 

Você chega a Delmiro Gouveia, está asfaltado, está limpa, está iluminada, tem semáforo – você pensa que está no Rio, em São Paulo, tem uma guarda municipal – que você pensa que é o FBI, e quando você olha para dentro de Delmiro, está podre. 

É inadmissível Delmiro Gouveia não ter um campo de futebol, não ter um ginásio de esportes, não ter uma biblioteca, não ter uma creche. 

Uma cidade universitária não ter uma biblioteca, qual a grande obra nesses últimos anos do atual governo? Construiu-se oito ou dez praças, oito, dez estátuas do padre Cicero. Isso é inadmissível, isso é vergonhoso.

O Deputado deixou claro o seu apoio a uma futura candidatura do presidente da câmara Valdo Sandes.

"Eu acredito piamente que no amanhã, Delmiro Gouveia com um prefeito como Valdo Sandes, apoio do governador, ele é um aliado do governador em todos os momentos, tem uma ligação muito estreita com o governador Renan Filho. Eu acredito que Delmiro Gouveia vai passar a ser uma cidade referência pra os sertões de Alagoas, Pernambuco, Sergipe e Bahia."

Da Redação
Na tarde desta sexta-feira (24), o deputado estadual Inácio Loiola concedeu entrevista ao programa Radar 89 na Rádio Delmiro FM na cidade de Delmiro Gouveia, sertão alagoano, e falou, dentre os questionamentos dos condutores do programa, da gestão do ex- prefeito de Piranhas Dr. Dante e do seu candidato a prefeito de Delmiro Gouveia.

Antes de adentrar na avaliação da gestão do ex-prefeito, o deputado evidenciou os avanços que Piranhas tiveram no período de 2000 a 2012, citando a posição de destaque que a cidade Lapinha do sertão teve quando alcançou o terceiro destino turístico do Estado de Alagoas, e dos dois ‘Selos UNICEF Município Aprovado’ conquistados.  Quanto ao Dr. Dante: “a partir de 2013, Piranhas passou por um processo de degradação, de destruição. Assume os destinos do município de Piranhas uma pessoa não comprometida com a população piranhense, e se eu for falar os desmandos, a incompetência desse governo, com  absoluta certeza uma tarde não daria para eu falar. Tudo foi de águas a baixo e ele, em dois anos, conseguiu transformar Piranhas, o que aconteceu com Berlim, ao final da 2ª Guerra mundial, ou seja, Berlim totalmente destruída”, respondeu o deputado, acrescentando que espera do atual prefeito a recuperação de Piranhas e que o município volte a ser o que era antes.
  
Eleições 2016

Perguntando ao Inácio Loiola sobre o candidato que deverá ter seu apoio na sucessão municipal em Delmiro Gouveia, o deputado destinou atenção ao Valdo Sandes, presidente da Câmara de Vereadores, e justificou: 

“Delmiro Gouveia precisa ser oxigenado. Eu comparo o atual governo de Delmiro Gouveia àquela foto de Tancredo Neves, quando se montou ele e dizia que ele estava bom, e por dentro ele estava podre. Você chega a Delmiro Gouveia, está asfaltado, está limpa, está iluminada, tem semáforo – você pensa que está no Rio, em São Paulo, tem uma guarda municipal – que você pensa que é o FBI, e quando você olha para dentro de Delmiro, está podre. 

É inadmissível Delmiro Gouveia não ter um campo de futebol, não ter um ginásio de esportes, não ter uma biblioteca, não ter uma creche. Diante do que eu conheço, uma das pessoas indicadas, um das pessoas que tem um projeto de desenvolvimento para Delmiro é Valdo Sandes."


R2noticias

Os motoristas licitados de vans que fazem o transporte complementar da linha 22, Delmiro à Piranhas, estão cobrando fiscalização ativa da ARSAL (Agência Reguladora dos Serviços Públicos de Alagoas), nas rodovias do sertão.

Para os motoristas que participaram das licitações, adquirindo sua autorização para realizar o transporte complementar: “Cresce a cada dia o número de transporte irregular, que não atende normas estabelecidas pela Licitação do Transporte Rodoviário Intermunicipal de Passageiros”.

“A ARSAL abandonou essa região, a fiscalização acontece de São José da Tapera à Maceió, a linha Delmiro à Piranhas e outras linhas aqui do sertão são abandonadas. Pagamos pela nossa regulamentação, mas não temos direito.”

Os motoristas já enviaram diversas solicitações a ARSAL, mais não obtiveram respostas ativas e concretas quanto à vinda da fiscalização neste setor do sertão.

Desde janeiro deste ano, sem mandato eletivo, o ex-governador Teotonio Vilela Filho (PSDB) pode, enfim, responder pelas acusações de crimes de formação de quadrilha, peculato e corrupção passiva agravada pelo dever funcional do cargo exercido, frutos de denúncias feitas pelo Ministério Público Federal (MPF) ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), após a deflagração da Operação Navalha, desencadeada em 2007, pela Polícia Federal (PF).

O processo estava sustado no STJ desde 2008, em face do foro diferenciado, por prerrogativa de função do ex-governador tucano. Para que Vilela respondesse à ação penal contra ele interposta, enquanto chefe do Poder Executivo alagoano, seria necessário que a Assembleia Legislativa do Estado (ALE) autorizasse. O que não ocorreu. Por isso, o STJ não pôde dar sequência à instrução nem ao julgamento das denúncias contra o então governador.

Agora, com o fim do mandato, Vilela perdeu também o foro privilegiado, razão por que o processo foi remetido para a Justiça Federal de Alagoas. A decisão monocrática que reativou a tramitação da ação penal contra o ex-governador foi tomada pelo ministro do STJ, Og Fernandes, no dia 5 de fevereiro. O processo foi distribuído para a 13ª Vara Federal em 27 de fevereiro. E encaminhado para o MPF em Alagoas “para manifestação acerca do declínio de competência da presente ação penal, nos termos da decisão de fls. 203/204 do Colendo Superior Tribunal de Justiça”, como disse o despacho do juiz federal Sebastião José Vasques de Moraes, em 3 de março.

A assessoria de imprensa do MPF confirmou que a ação penal diz respeito à Operação Navalha. E informou que o processo está agora com o procurador da República Marcelo Lôbo, que “está analisando e vai resolver, até a próxima semana, se confirma a denúncia em relação a Teotônio Vilela e acrescenta novos fatos e novos réus”.

Por Candice Almeida - Estagiária CM Press
Cosal realiza limpeza em estação e pretende retomar fornecimento ainda nesta sexta (24)
Ascom/Casal

Os municípios de Água Branca, Canapi, Inhapi, Mata Grande e Olho d’Água do Casado estão com o abastecimento de água interrompido nesta sexta-feira (24).

O motivo é a paralisação da estação de captação do sistema adutor coletivo do Sertão, localizada no povoado Salgado – às margens do rio São Francisco, no município de Delmiro Gouveia – devido às chuvas que caíram na região nesta madrugada.

O temporal provocou enxurrada, carregou material orgânico até o rio e, como consequência, a estação deixou de realizar, temporariamente, as atividades (captação e tratamento) até que seja possível a distribuição da água potável.

Técnicos da Unidade de Negócio Sertão da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) estão realizando a limpeza dos filtros da estação e, segundo a gerência da unidade, a previsão é de que o serviço seja concluído ainda nesta sexta (24), quando o bombeamento será retomado.

Porém, a regularização do sistema, que é coletivo, somente ocorrerá neste sábado (25).
Veja os repasses feitos pelas empresas investigadas por desvios na Petrobras a candidatos e partidos políticos nas eleições de 2010 e 2014, de acordo com levantamento do Congresso em Foco no TSE


PartidosDoações 2010 (R$)Doações 2014 (R$)Total (R$)
PT125.347.101147.920.750,00273.267.851
PSDB83.520.72082.312.300,00165.833.020
PMDB67.030.02076.530.000,00143.560.020
PSB29.966.70032.222.181,0562.188.881
PP17.734.00016.770.000,0034.504.000
PR11.600.00015.317.500,0026.917.500
DEM7.208.00019.028.300,0026.236.300
PDT15.053.7806.671.245,0021.725.025
PTB5.404.0006.338.978,0011.742.978
PCdoB3.390.0006.265.015,089.655.015
PSD *9.044.081,009.044.081
PPS4.637.7511.590.000,006.227.751
PSC3.321.7662.839.790,006.161.556
PV4.420.0001.690.000,006.110.000
SD *5.210.000,005.210.000
PRB2.400.0001.585.000,003.985.000
Pros *1.520.000,001.520.000
PRTB20.0001.463.000,001.483.000
PTN665.000690.000,001.355.000
PMN520.000613.030,001.133.030
PEN *1.117.880,001117880
PTdoB390.000675.774,451.065.774
PTC581.400250.000,00831.400
PSL164.000373.840,00537.840
PHS220.00060.000,00280.000
PSDC87.000166.900,50253.901
PRP53.00036.000,0089.000
PPL *55.000,0055.000
Total383.734.238438.356.565,08822.090.803
Valores corrigidos491.958.536,53438.356.565,08930.315.101,61
Índice: IPCA/IBGE
Fonte: Congresso em Foco com base em dados do TSE.